Pérola do Oeste cita ‘luta pela sobrevivência’ para oferecer o serviço em Guarapuava

Em uma nota divulgada nesta quarta-feira (3), a empresa cita a queda do número de passageiros, o aumento dos combustíveis, a tarifa defasada e a falta de subsídio como problemas a serem enfrentados

A empresa Pérola do Oeste, responsável pelo transporte coletivo de Guarapuava, divulgou nesta quarta-feira (3) uma nota sobre as dificuldades para a operação do sistema. O texto cita uma crise financeira que se arrasta desde o ano passado.

“Em Guarapuava, esta situação já foi comunicada ao executivo municipal desde o início da epidemia, mas até agora não recebeu nenhum tipo de aporte, o que vem favorecendo o colapso cada vez mais iminente do sistema”, diz a empresa. 

Entre os problemas enfrentados, de acordo com a concessionária, está a tarifa defasada, a alta nos valores do diesel, a queda de passageiros e a falta de subsídio. “A Pérola passa por uma situação de luta pela sobrevivência para continuar oferecendo o serviço”. 

CONTEXTO

Em meio a esse cenário, a Pérola afirma que está priorizando o pagamento dos colaboradores – parte, inclusive, já teve redução salarial e de carga horária. 

“Outros da equipe, infelizmente, precisaram ser desligados da empresa, numa tentativa de ajuste, com a demissão de 40 colaboradores”, afirma. “Além disso, a manutenção de outro item básico, que é o fornecimento de combustível, também já está sendo comprometido no cenário que está cada vez mais caótico”.

A nota termina dizendo que a empresa está “fazendo o possível para manter o serviço, mas que a sustentabilidade da operação está seriamente comprometida e que pode de fato a qualquer momento parar”.

error: