Paraná separa 20 mil doses para imunizar trabalhadores do Ensino Superior

O começo da imunização nesse grupo, que consta no Plano Estadual de Vacinação, foi definida em reunião realizada entre o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, e os reitores das universidades do Paraná. Os secretários municipais também aprovaram a medida

Vinte mil doses do imunizante produzido pela Pfizer/BioNTech, que chegaram no Estado do Paraná nessa segunda-feira (7), serão destinadas aos professores e funcionários administrativos das universidades e faculdades, públicas e privadas. Elas serão distribuídas a 64 municípios paranaeneses.

O começo da imunização nesse grupo, que consta no Plano Estadual de Vacinação, foi definida em reunião realizada entre o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, e os reitores das universidades do Paraná. Os secretários municipais também aprovaram a medida.

As doses serão encaminhadas ainda nesta semana para as Regionais de Saúde do Estado e os municípios serão responsáveis pela definição da ordem de aplicação das vacinas. Os trabalhadores das instituições deverão se dirigir aos pontos de vacinação nas respectivas cidades em que atuam.

Nesse momento, não estão incluídos professores e técnicos de polos de cursos ofertados na modalidade de Ensino a Distância (EaD).

De acordo com o Censo de Educação Superior de 2019, realizado pelo Ministério da Educação (MEC), o Paraná tem cerca de 60 mil profissionais nas instituições de ensino superior, entre professores e trabalhadores administrativos. O Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19, que está em constante atualização, traz um número um pouco menor, de 54.110.

Para o superintendente Aldo Bona a vacinação da comunidade universitária tranquiliza esses profissionais. “As atividades de ensino, pesquisa e extensão, desenvolvidas pelas universidades paranaenses, são essenciais para o desenvolvimento do Estado e para a retomada econômica no período pós-pandemia. A vacinação desse público é de fundamental importância e traz alívio para a comunidade acadêmica”, afirmou.

“Estamos felizes em começara a vacinar mais um grupo fundamental para o Estado. Ultrapassamos a marca de 4 milhões de doses aplicadas e estamos avançando dentro das nossas prioridades e na população em geral”, complementou o secretário Beto Preto.

“A vacina permitirá o retorno de várias atividades essenciais que são realizadas pelas universidades. Assim, será possível atuar em outras frentes, além do grande trabalho que já é realizado no combate à pandemia”, destacou Fátima Padoan, reitora da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior (Apiesp).

VACINAÇÃO

De acordo com o Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), o Paraná aplicou mais de 4 milhões de doses até a manhã desta terça-feira (8), sendo 2.793.678 referentes à primeira dose e 1.232.380 para a segunda dose. Além do grupo considerado prioritário pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), que alcança quase 5 milhões de pessoas, o Estado começou a vacinar a população em geral de forma escalonada.

NOVO LOTE

As 145.080 doses do imunizante produzido pela Pfizer/BioNTech chegaram nesta segunda. O material está armazenado no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para averiguação, separação e distribuição entre os municípios.

As vacinas integram a 23ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde e representam o maior lote do medicamento produzido pela farmacêutica norte-americana, que foi encaminhado ao Estado. Com a nova remessa, o Paraná recebeu, até o momento, 360.360 unidades da farmacêutica.

UNICENTRO
Na última segunda-feira (7), o vice-reitor da Unicentro, Ademir Juracy Fanfa Ribas, participou de reunião com o secretário de Estado da Saúde do Paraná, Beto Preto, o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, e representantes das universidades do Paraná.

“Foi uma reunião muito importante, onde pudemos definir o início da vacinação para os trabalhadores das universidades. Sabemos o quanto isso é importante para que possamos continuar nosso trabalho com maior tranquilidade e segurança”, afirmou o vice-reitor, lembrando, ainda, que na Unicentro, cerca de duas mil pessoas devem ser vacinadas nessa etapa do Plano.

************Com informações da Unicentro

error: