Paraná levará 100 estudantes da rede estadual para intercâmbio na Nova Zelândia em 2021

Além de possibilitar o desenvolvimento da autonomia e aperfeiçoamento da língua inglesa na formação acadêmica em instituições de ensino estrangeiras, o Ganhando o Mundo tem como objetivo ampliar o repertório cultural durante a experiência de morar em outro país

As inscrições para o Ganhando o Mundo, do Governo do Estado, terminam no dia 15 de janeiro. Esse é um programa de intercâmbio para estudantes de colégios estaduais criado pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte.

Iniciativa inédita, o programa vai levar nesta primeira edição 100 estudantes para a Nova Zelândia. A viagem ocorrerá no segundo semestre de 2021, desde que não haja restrições em razão da pandemia do novo coronavírus.

Além de possibilitar o desenvolvimento da autonomia e aperfeiçoamento da língua inglesa na formação acadêmica em instituições de ensino estrangeiras, o Ganhando o Mundo tem como objetivo ampliar o repertório cultural durante a experiência de morar em outro país.

“O Ganhando o Mundo é mais uma das diversas iniciativas pedagógicas que têm a missão de melhorar o nível de aprendizado dos estudantes paranaenses, nesse caso através de uma oportunidade incrível, que é a vivência em outro ambiente cultural”, diz o secretário Renato Feder.

Lançado no fim de 2019, o Ganhando o Mundo não aconteceu em 2020 devido à pandemia de Covid-19. O edital reforça que o programa vai acontecer no ano que vem, exceto se houver o fechamento de fronteiras e alteração do calendário escolar do país de destino.

O site www.ganhandoomundo.pr.gov.br vai reunir todas as informações e novidades do programa.

INSCRIÇÕES

As inscrições vão até 15 de janeiro, ao meio-dia. O processo pode ser realizado pela Área do Aluno e estão aptos a participar estudantes matriculados no 9° ano do Ensino Fundamental em 2020, e que em 2021 vão ingressar no Ensino Médio.

É preciso já estar matriculado na rede estadual para o ano que vem. Também é necessário ter cursado os anos finais do Fundamental (6º ao 9º ano) na rede pública do Estado e ter entre 14 e 17 anos e meio na data de embarque.

SELEÇÃO

A seleção dos intercambistas será pela média de notas e frequência. O estudante deverá ter média maior ou igual a sete (7,0) em todas as matérias e frequência maior ou igual a 85%.

Para chegar a pontuação final, serão somadas as médias de todas as disciplinas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) cursada em 2020 no 9º ano.

Serão duas etapas de seleção. A primeira para selecionar o melhor estudante de cada município do Paraná, chegando a 399 classificados. Na segunda etapa, então, serão escolhidos os melhores 100 entre todos os selecionados. 

INGLÊS

Para preparar melhor os estudantes selecionados, um curso de inglês via aplicativo será ofertado em parceria com as universidades estaduais vinculadas à Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

O curso vai acontecer ao longo do primeiro semestre de 2021 em formato autoinstrutivo, baseado em desafios que consideram a perspectiva da aprendizagem por vivência social e cultural. O curso tem, ao todo, seis módulos de 40 horas cada um, totalizando 240 horas.

DESPESAS

Os gastos com a documentação necessária para a viagem e itens essenciais durante o semestre letivo no exterior serão custeados pela Secretaria da Educação e do Esporte.

Os custos incluem emissão de passaportes e vistos, exames médicos e vacinas, passagens aéreas e terrestres, transporte, hospedagem, seguro viagem e saúde, além das despesas vinculadas à parte acadêmica, como taxa de matrícula, tradução juramentada da documentação escolar, mensalidade da escola, material didático e uniforme.

O intercambista também receberá uma ajuda de custo mensal de R$ 800. Serão seis parcelas da bolsa-intercâmbio, sendo a primeira (bolsa-instalação) para cobrir despesas iniciais na chegada e as demais repassadas mês a mês.

NOVA ZELÂNDIA

Dividido em duas ilhas principais e outras menores no Oceano Pacífico, o país é um dos mais desenvolvidos e industrializados do mundo, com excelente índice de desenvolvimento humano e diversos outros indicadores entre os melhores do planeta, incluindo o Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), no qual a nação figura entre as 15 primeiras.

Com quase 5 milhões de habitantes, menos da metade da população do Paraná, o terceiro maior país da Oceania tem o inglês como um de seus idiomas oficiais. Os outros são a Língua de Sinais Neozelandesa e o Maori, referente ao povo que já habitava a região antes da chegada dos europeus no século XVII.

Descoberta por holandeses e colonizada pelos britânicos a partir do século XVIII, a Nova Zelândia se tornou independente do então Império Britânico em 1907.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.