No Paraná, praias tiveram boa qualidade das águas nesta temporada

Último boletim de balneabilidade mostra somente Ponta da Pita, em Antonina, como impróprio para banho. Durante a temporada, mais quatro locais pontuais tiveram sua balneabilidade comprometida em razão das fortes chuvas

O Instituto Água e Terra (IAT) destaca que as águas das praias e represas artificiais do Litoral e Interior do Estado apresentaram ótima balneabilidade nessa temporada de verão 2020/2021. O 9º e último boletim, emitido nesta sexta-feira (12), mostra somente Ponta da Pita, em Antonina, como ponto desfavorável para banho, além dos dez rios permanentes impróprios no Litoral. O Interior segue com todos os pontos próprios.

Durante a temporada, cinco locais tiveram sua balneabilidade comprometida. “Tivemos quatro casos muito pontuais por conta da grande quantidade de chuvas, além da Ponta da Pita, que se manteve impróprio por toda a temporada em razão do lançamento irregular de esgoto presente por lá”, diz a bióloga do Laboratório de Microbiologia do IAT em Curitiba, Beatriz Ern da Silveira. “A qualidade para banho traz segurança para os veranistas”.

O resultado do último boletim vale até a próxima semana (18).

APLICATIVO

Nessa temporada os veranistas tiveram uma novidade. O novo aplicativo para sistema Android “Balneabilidade Estado do Paraná” auxiliou, de maneira prática e dinâmica, na identificação dos pontos impróprios.

Pelo celular, é possível ver, no mapa, o local exato monitorado pelo IAT, sendo facilmente identificado com um ponto de referência, como uma rua ou um comércio, por exemplo. 

O aplicativo pode ser baixado pelo Google Play (play.google.com/store/apps/details?id=balneabilidade.iat).

Os boletins também foram divulgados no site do Instituto Água e Terra (http://www.iat.pr.gov.br/Pagina/Balneabilidade) ou no link do Verão Consciente (http://www.iat.pr.gov.br/Pagina/Verao-Consciente).

MONITORAMENTO

O IAT monitora as águas do Litoral e da Costa Oeste e Norte no período de maior fluxo de veranistas para avaliar a concentração de bactérias Escherichia coli (E.coli), presentes em esgoto sanitário clandestino e fezes humanas e de animais de sangue quente.

Quanto maior a quantidade da bactéria na água, maior a possibilidade da existência de agentes patogênicos que podem colocar em risco a saúde dos banhistas.

As doenças mais comuns são gastroenterite, diarreia, doenças de pele e infecções nos olhos, ouvidos e garganta. Outras mais graves também podem ser transmitidas por meio da água, como hepatite A, cólera e febre tifoide.

LITORAL

Os pontos monitorados ficam em Guaratuba (13), Matinhos (14), Pontal do Paraná (11), Ilha do Mel (6), Morretes (3) e Antonina (2). O boletim também aponta dez rios, canais e galerias considerados permanentemente impróprios para banho no Litoral, independentemente da época do ano. Eles estão indicados em letras maiúsculas no boletim.

INTERIOR

Na Costa Oeste são monitorados pontos de prainhas e rios nas cidades de Foz do Iguaçu (2), Santa Terezinha de Itaipu (3), São Miguel do Iguaçu (2), Itaipulândia (1), Missal (1), Santa Helena (3), Entre Rios do Oeste (2), Marechal Cândido Rondon (2) e na Costa Norte no município de Primeiro de Maio (1).

SINALIZAÇÃO

Cada ponto monitorado possui uma bandeira indicando se o local está próprio ou impróprio para banho. Elas são atualizadas às sextas-feiras, após resultado do novo boletim.

A sinalização refere-se à condição da água a 100 metros à direita e à esquerda de cada bandeira. A cor azul indica que a água apresenta boas condições de balneabilidade em qualquer condição climática e a vermelha representa áreas inadequadas para banho.

Balneabilidade do Paraná tem serviço comparado com laboratório particular

A estrutura, as tecnologias utilizadas para a análise de amostras em laboratório e a qualidade dos resultados emitidos pelo Instituto Água e Terra (IAT) em relação à balneabilidade paranaense durante a temporada de verão foram elogiados pelo Ministério do Meio Ambiente e outros órgãos ambientais estaduais. O IAT é um órgão vinculado à Secretaria estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. 

Durante reunião virtual com representantes dos Estados costeiros Sul e Sudeste, no último mês, cada estado participante apresentou como é feito o serviço de coleta e pesquisa da qualidade da água. “O serviço prestado pelo laboratório do IAT foi comparado com a mesma qualidade e investimento de um laboratório particular”, afirmou a bióloga do Laboratório de Microbiologia do IAT em Curitiba, Beatriz Ern da Silveira, que representou o IAT na reunião. 

De acordo com a bióloga, a busca pela excelência e confiabilidade dos resultados com o empenho dos laboratórios de microbiologia do IAT para conseguir a recomendação para certificação da ISO 17025 contribuiu para esse reconhecimento.

A conquista se deve pelo processo realizado no Paraná de monitoramento, parâmetro, tecnologia, sistema e forma de disponibilidade das informações à população. A acreditação representa um reconhecimento de que os parâmetros dos laboratórios seguem padrão de qualidade exigido internacionalmente.

A avaliação nas praias e represas durante a temporada é feita seguindo determinações da Resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) nº 274/2000.

“O Instituto trabalhou semanalmente na análise das amostras para garantir que os veranistas e banhistas aproveitassem os locais de uma forma mais consciente e segura”, afirmou o gerente de Monitoramento e Fiscalização do IAT, Álvaro Cesar de Góes.

error: