‘Iniciamos o retorno com bastante critério’, diz chefe do NRE

Em entrevista ao CORREIO, Edil Aparecida Espínola, chefe do Núcleo Regional de Guarapuava, ressalta que o retorno foi feito com ‘bastante critério’ e que cerca de 304 alunos e 111 professores retomaram as atividades presenciais

Cerca de 200 colégios estaduais do Paraná retornaram às aulas presenciais nesta semana, adotando o ensino híbrido – parte dos estudantes em sala de aula e parte em ensino remoto, como vem sendo feito desde o início da pandemia da Covid-19.

Na área de abrangência do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Guarapuava, dez instituições de ensino entraram na lista: os colégios estaduais Ana Vanda Bassara, Francisco Carneiro Martins, Visconde de Guarapuava, Leni Marlene Jacob e Rui Barbosa, e os centros estaduais de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja) e de Educação Profissional Arlindo Ribeiro – conhecido como “Colégio Agrícola” -, em Guarapuava; o Colégio Estadual Santa Clara e o Ceebja, de Candói; e o Colégio Estadual Mário Evaldo Morski, de Pinhão.

No total, a estimativa do NRE é que 304 estudantes e 111 professores e funcionários tenham retornado às atividades presenciais na última segunda (10), primeiro dia do modelo híbrido.

Em entrevista ao CORREIO, a chefe do Núcleo, Edil Aparecida Espínola, ressalta que foi adotado “bastante critério” e o número de instituições é “conservador”. “Dentro dessa logística, fizemos todo um alinhamento com os diretores e os professores e todos os agentes da educação, elencando algumas turmas”, explica. Em linhas gerais, voltaram os alunos do ensino profissionalizante e de jovens e adultos. “É um grupo mais maduro”, resume Edil.

BIOSSEGURANÇA
A chefe do NRE de Guarapuava esclarece que é seguido um protocolo de biossegurança para evitar contaminações pela Covid-19. Além dos cuidados de praxe – uso de álcool gel, máscaras e a prática do distanciamento social -, há uma comissão do Núcleo que faz vistorias e orientações para comissões das próprias escolas.

De acordo com Edil, funcionários do Núcleo também estão ajudando e orientando os diretores para a efetivação das medidas de segurança.

“Nossa presença não é fiscalização, é apoio e disposição para essas escolas, os diretores já sabem disso. Nosso objetivo é dar segurança e cuidar para que o protocolo de biossegurança seja executado, e isso está acontecendo”, afirma.

No total, a estimativa do NRE é que 304 estudantes e 111 professores e funcionários tenham retornado às atividades presenciais na última segunda (10), primeiro dia do modelo híbrido (Foto: Ilustrativa/EBC)

RETORNO
Está programada para esta sexta-feira (14) uma reunião para avaliar os trabalhos realizados ao longo desta semana. É um encontro formal para discutir a aplicação do modelo híbrido nas escolas do NRE de Guarapuava.

A tendência, segundo Edil, é que mais colégios retomem parcialmente as atividades presenciais a partir de 24 de maio.

“Nosso propósito é que a cada semana, naquelas escolas que já experimentaram [as aulas presenciais], avancem com mais algumas turmas”, pontuando que a prioridade para retorno será em instituições com funcionários suficientes para atender os alunos.

A chefe do Núcleo também cita a situação das escolas do campo, em que muitos estudantes têm dificuldades para acessar os conteúdos online. “Estamos analisando cada situação para que a gente não seja imprudente, por conta dos cuidados da pandemia, mas que a gente olhe com carinho à necessidade educacional daquela escola, daquela região”, completa.

VACINAÇÃO
Com o retorno às aulas presenciais, o Governo do Estado passou a encaminhar doses de vacinas contra Covid-19 para imunizar os profissionais da educação. À 5ª Regional de Saúde (RS) foram destinadas 1.445 doses, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

De acordo com a Prefeitura de Guarapuava, a imunização de trabalhadores da rede estadual e municipal começa nesta quinta-feira (13), abrangendo as idades de 55 e 59 anos.

error: