Guarapuava registrou mais de 1.800 casos de Covid-19 em dezembro

O balanço feito pelo CORREIO, com base dos boletins da Secretaria de Saúde, mostra que 26 pessoas morreram vítimas da doença no último mês de 2020; veja os números de janeiro e as atualizações dos leitos nos hospitais da 5ª Regional

O último mês de 2020 ligou um alerta nas autoridades e população de Guarapuava em relação à Covid-19. Dezembro registrou mais de 1.800 casos durante os 31 dias. O número de óbito também aumentou, com mais de 20 no mesmo período.

Conforme o balanço feito pelo CORREIO, a partir dos boletins da Secretaria de Saúde, o município confirmou 1.805 casos do novo coronavírus em dezembro.

No dia 30 de novembro, Guarapuava tinha o total de 2.924 diagnósticos positivos. Já no último dia do ano, a soma era de 4.729.

ÓBITOS

As mortes em decorrência da doença também tiveram um aumento significativo. 

Até 30 de novembro, 32 pessoas tinham falecido vítimas da Covid-19. Durante um mês, a Saúde de Guarapuava registrou 26 óbitos. O total de 2020 foi de 58 falecimentos. 

JANEIRO

Nos quatro primeiros dias de 2021, os números diários são baixos em comparação com dezembro. Até o momento, 150 novas confirmações e quatro óbitos foram divulgados pela pasta de Saúde. O total geral de casos é de 4.879 e de mortes, 62. 

HOSPITAIS

A 5ª Regional de Saúde, da qual Guarapuava faz parte e é sede, conta com três hospitais para atendimento das vítimas da doença. Dois deles, o Hospital Regional Bernardo Ribas Carli e o Instituto São José de Laranjeiras do Sul, têm leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O Hospital São Vicente de Paulo conta apenas com leitos de enfermaria para pacientes com o novo coronavírus, em uma ala particular da unidade.

No último boletim divulgado pela Regional, na tarde desta segunda-feira (4), 91,4% dos leitos de UTI estavam ocupados. Dos 25 no HR, apenas dois estavam livres; dos 10 no Instituto São José, 1 era vago.

Na enfermaria a taxa de ocupação era de 27,5%. No total, são 80 leitos exclusivos para a Covid-19. 

O HR conta com 60 e 15 estavam livres; o São Vicente com 10, sendo que nove estavam desocupados. Já em Laranjeiras, dos 20, 13 não tinham pacientes fazendo uso.

*****Daiara Souza, especial para CORREIO

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.