Guarapuava começa a vacinação contra a Covid-19; conheça os grupos prioritários

As primeiras doses foram aplicadas em três profissionais da saúde na noite de terça-feira (19), no Centro de Vacinação localizado em frente à Prefeitura

A vacinação contra a Covid-19 começou nesta terça-feira (19) em Guarapuava. 

Após a chegada das 5.640 doses da 5ª Regional de Saúde no Aeroporto Tancredo Thomas de Farias, as unidades foram fracionadas e distribuídas para os municípios da região. 

Na famosa “terra do lobo bravo”, a enfermeira Sueli Martins Ribeiro (52 anos), a profissional de saúde Luceli Menão Brunikoski (51 anos) e o médico Rodrigo Lagos (35 anos) foram os primeiros a serem imunizados. 

O município está preparado para distribuir as 1.533 doses da vacina entre 1.496 profissionais da saúde e 37 idosos do SOS Airton Haenisch. Esse é o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Em entrevista ao CORREIO, Sueli ressaltou que a chegada da vacina dá mais tranquilidade para desempenhar a sua função, já que está na linha de frente do combate ao coronavírus. 

“O sentimento é de muita emoção, felicidade, leveza… a gente esperava muito pela vacina”, acrescentando que a preocupação com a doença é constante. “Com a chegada da vacina, estou me sentindo até leve, pois vou estar mais tranquila.”

Ela ressalta que são utilizados todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e a sua função é exercida da forma mais segura possível. “Eu estou me sentindo muito feliz por ser uma das primeiras e, assim, o nível de estresse diminui bastante”, completa a enfermeira, que também é coordenadora da Clínica da Mulher. 

IMUNIZAÇÃO

Após Sueli, a profissional Luceli foi a segunda a receber o imunizante CoronaVac, produzido pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Ela é atendente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Batel. 

“Eu trabalho na recepção da UPA, no acolhimento ao paciente, e a gente tem trabalhado de uma certa forma angustiado. Você sente medo, mas o exercício da profissão é maior. Você veste a camisa, coloca coragem, pede a proteção e encara o problema”, acrescentando que há atendimento de casos suspeitos e positivos da doença. “[A vacinação] é uma esperança para a gente. Estávamos esperando isso há muito tempo.”

Na sequência, o médico Rodrigo Lagos, que atua no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dedicada à Covid-19 do Hospital São Vicente de Paulo, recebeu a terceira dose da CoronaVac. 

Em entrevista à assessoria da Prefeitura de Guarapuava, ele afirmou que receber a vacina “é um recomeço com mais tranquilidade”. “Perdemos muitos companheiros, sofremos e estamos sofrendo por muitas pessoas. É um alento porque sabemos que poucas pessoas vão ter que se afastar futuramente e ajudar quem está doente. Com a vacina, a tendência é voltar tudo mais rápido e que possamos sair desse período turbulento”, afirmou. “Eu queria que muitas pessoas que passaram por aquela UTI, que sofreram com a doença e que se foram, tivessem essa mesma oportunidade.”

HISTÓRICO

O prefeito de Guarapuava, Celso Góes, ressaltou que a pandemia do coronavírus é a maior crise sanitária da humanidade, e que o início da imunização é um momento histórico. Citando os três primeiros vacinados, Góes afirmou que eles representam os profissionais que atuam no combate à doença. 

“Vocês representam todos os nossos funcionários da saúde no município de Guarapuava. A Sueli, a Luceli e o doutor Rodrigo, que lutam muito, todos os dias, no enfrentamento da pandemia”, pontuando que, mesmo com poucas doses disponibilizadas, o 19 de janeiro foi um dia de esperança. “É uma luz no fim do túnel. É uma semente que começamos a plantar hoje e se inicia o ‘início do fim’ da pandemia. É isso que importa.”

‘É uma luz no fim do túnel’, disse Celso Góes sobre a vacinação (Divulgação/Secom)

O prefeito também pontuou que há garantias do Ministério da Saúde de que, em breve, mais doses serão distribuídas para imunizar todos os trabalhadores da saúde. “Não há diferença e nem discriminização para nenhum. Desde o ACS [Agente Comunitário de Saúde] até o médico, todos fazem o enfrentamento todos os dias”, completou. 

CAMPANHA

A Prefeitura de Guarapuava encaminhou à imprensa, ainda na noite de terça, um material detalhado sobre a campanha de vacinação no município, que deverá avançar gradativamente conforme a chegada das doses. 

O primeiro grupo a ser protegido são os profissionais de saúde que vão aplicar as vacinas e aqueles que estão na linha de frente da Covid-19. Depois, serão imunizados os demais agentes de saúde da rede pública e, na sequência, da rede particular. Devem ser atingidas cerca de 3,3, mil pessoas, segundo a Secretaria de Saúde. 

No grupo prioritário 2 da primeira fase, estão incluídas, por ordem: pessoas de 80 anos ou mais; pessoas de 75 a 79 anos; pessoas com 60 anos ou mais que estão em lares de longa permanência; e indígenas. 

Na segunda fase, serão vacinadas pessoas de 70 a 74 anos; 65 a 69 anos; e de 60 a 64 anos. Na terceira, por chamamento via cadastro, pessoas com comorbidades. O grupo prioritário 4 inclui os trabalhadores da educação, da segurança pública e do sistema prisional. 

As primeiras aplicações – que começaram nesta quarta-feira (20) – estão sendo feitas de forma volante, mas Guarapuava terá um Centro de Vacinação, localizado em frente à Prefeitura, para atender a demanda.

******Com informações da Secom

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.