Governo prepara a segunda edição do programa Paraná Mais Cidades

Programa é uma parceria entre o Legislativo e o Executivo na distribuição de recursos para o desenvolvimento dos municípios. Em 2020 foram destinados mais de R$ 350 milhões para ações nas cidades. Ele foi tema de reunião de representantes do Governo com empresários e prefeitos do Noroeste

O Governo do Estado prepara para março a segunda edição do programa Paraná Mais Cidades, uma parceria entre o Legislativo e o Executivo na distribuição de recursos para o desenvolvimento dos municípios. No ano passado, o programa destinou mais de R$ 350 milhões do Tesouro Estadual e da devolução do exercício orçamentário do Legislativo para os municípios por meio de convênios e indicação dos deputados estaduais. 

Este ano, segundo o chefe da Casa Civil, Guto Silva, os recursos do programa serão turbinados para atender mais as necessidades de geração de emprego e renda nos municípios.

O Paraná Mais Cidades foi um dos assuntos da reunião do chefe da Casa Civil com prefeitos da Associação do Municípios do Norte do Paraná (Amunop) nesta sexta-feira (5), em Maringá. Silva detalhou este e outros programas de investimentos públicos que o Governo planeja executar em 2021 para impulsionar a retomada da economia. 

“O Paraná Mais Cidades é direcionado a obras que melhoram a vida da população, como pavimentação, reforma de escolas e de postos de saúde, entre outros, que geram muitos empregos e fazem a roda da economia girar mais rapidamente”, disse.

Com relação à economia, ainda que o Paraná venha se destacando na criação de postos de trabalho formais, ele afirmou que o esforço do Governo está concentrado em acelerar o ritmo. Além do novo Paraná Mais Cidades, Guto Silva citou o fortalecimento de obras de habitação.

“O Estado tem um problema fiscal, porque a pandemia impactou a arrecadação, mas estamos trabalhando para reduzir custos e poder investir. Vamos ter um grande investimento em casas populares este ano”, afirmou. 

Ele também citou a atenção permanente às questões de saúde. “Temos duas preocupações básicas este ano, que são a saúde e a economia”, reforçou. Na questão da saúde, ele disse que a aceleração da vacinação contra o coronavírus deve controlar a pandemia. 

AGENDA

A agenda de dois dias do chefe da Casa Civil em Maringá começou na quinta-feira (04) e incluiu também reuniões com os setores de tecnologia, turismo e moda, polos importantes da região. Na conversa com representantes desses segmentos, Silva apresentou o Programa Paraná Pay, que disponibiliza os créditos do Nota Paraná para serem utilizados em estabelecimentos regionais ligados ao turismo, com o objetivo de ajudar e fomentar esse setor.  

Ele também falou sobre linhas de apoio ao empresariado. No ano passado, a Fomento Paraná atendeu cerca de 700 empreendedores em Maringá, com a liberação de R$ 3,9 milhões em crédito. A Fomento Turismo, linha especial com recursos do Fungetur (Fundo Geral do Turismo), que financia obras e serviços considerados de interesse para o desenvolvimento do turismo em empreendimentos de micro, pequenas e médias empresas de toda a cadeia produtiva do turismo, firmou 11 contratos em Maringá, que somaram R$ 1.249.000,00.  

OBRAS E AÇÕES 

Entre as obras importantes para a região de Maringá, o chefe da Casa Civil destacou o compromisso do governador Carlos Massa Ratinho Junior com a construção do trevo Catuaí, que está com o projeto executivo sendo revisado, e a duplicação da PR-317, entre Maringá e Iguaraçu, cujos recursos já estão assegurados e a ordem de serviço para início das obras pode ser dada ainda este ano. 

Também se comprometeu com o setor de tecnologia a revisar o projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa para incluir Maringá e outros municípios no texto que altera a legislação de polos tecnológicos. “Já pedi para retirar de pauta o projeto de incentivo fiscal para várias cidades, regiões onde têm o setor de Tecnologia da Informação. Nós vamos modular, melhorar esse projeto para que tenhamos várias regiões atendidas, de acordo com suas vocações. Maringá será incluída nesse projeto mais amplo”, afirmou. 

error: