Energisa alerta para riscos de acidentes envolvendo pipas na rede elétrica

Em Guarapuava foram registradas nove ocorrências de pipas na rede elétrica, em 2020, deixando mais de mil clientes sem energia

Soltar pipa é uma daquelas brincadeiras que agrada a todas as gerações. A prática divertida que se intensifica no período de férias escolares, tem crescido consideravelmente durante a pandemia, já que as crianças estão passando mais tempo em casa. Por isso, a Energisa Sul-Sudeste reforça a conscientização da comunidade, com dicas importantes, para que o lazer não seja torne um problema de segurança. 

Para se ter uma ideia, em Guarapuava o número de ocorrências de pipa na rede elétrica saltou de um caso em 2019, para nove, no ano passado. Por conta disso, a quantidade de clientes que ficaram sem energia devido a desligamentos provados pela brincadeira também aumentou: de 72 para 1.332. 

De acordo com o coordenador de Saúde e Segurança da Energisa Sul-Sudeste, Rodrigo Pontes Garcia, além da interrupção no fornecimento de energia, empinar pipa em locais impróprios, próximos à rede elétrica, potencializa o risco de choque elétrico, que pode ser fatal. 

“Estamos sempre preocupados com a segurança das crianças e jovens que, muitas vezes sem ter a noção do risco iminente de um choque elétrico, brincam perto das redes. Adicionalmente, com as chuvas, esses materiais molhados acabam causando curto-circuito ou vazamento de energia, provocando a interrupção da energia. Dependendo da situação, o restabelecimento pode demorar e causar ainda mais transtorno aos clientes”, explica. 

O aumento de ocorrências provocadas por pipas perto da rede elétrica se repete em outras regionais da Energisa Sul-Sudeste, que atende 82 municípios do interior de São Paulo, sul de Minas Gerais e Guarapuava. Ao todo, entre 2019 e 2020, as ocorrências com pipas na rede elétrica cresceram 58%. Ao longo do último ano foram 241 registros, afetando o fornecimento de energia para mais de 64 mil consumidores. E já nos dois primeiros meses de 2021 foram contabilizadas dez ocorrências e 840 clientes prejudicados. 

“Os desligamentos podem acontecer em função dos restos de pipa que ficam presas nas redes ou que tocam os fios de energia. Fazemos a limpeza de forma rotineira nas redes, e sempre encontramos restos de pipas presas às estruturas”, complementa Tiago Luis Diorio Sanches, gerente do Departamento de Operação da distribuidora. 

Felizmente, nenhum acidente de choque elétrico foi registrado até o momento, porém o risco é iminente. Diante disso, a Energisa Sul-Sudeste, preparou algumas orientações importantes sobre o tema:  

– Jamais solte pipa próximo à rede elétrica;  

– Procure espaços como parques, praças e áreas abertas para brincar com segurança; 

– Não utilize materiais cortantes, como a linha chilena e o cerol;  

– Nunca tente remover a pipa que tenha ficado enroscada na rede elétrica. Apenas os profissionais autorizados pela Energisa, munidos de todos os itens de segurança e treinamentos necessários, podem fazer a manutenção na rede elétrica;  

– Não solte pipa próximo a ruas e avenidas. A linha pode ser perigosa para os condutores, causando, principalmente, acidentes com motos e bicicletas;  

– Não empine pipa em dias de chuvas e relâmpagos;  

– Alerte outras pessoas sobre o risco de soltar pipas sem os devidos cuidados. A conscientização é fundamental para reduzir transtornos e acidentes;  

– Ao verificar pipas presas à rede elétrica, entre em contato com a Energisa por meio dos canais de atendimento: 

Aplicativo: Energisa On (disponível para iOS, Android e Windows Phone) 

Gisa: (18) 99120-3365 (assistente virtual da Energisa pelo WhatsApp) 

Site: www.energisa.com.b

Facebook: www.facebook.com/energis

Call Center: 0800 70 10 326 

Assessoria/Energisa

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.