Divisão de Vigilância Epidemiológica e Ambiental de Guarapuava alerta para os cuidados com a aranha marrom

Limpar frequentemente os móveis, sacudir as roupas antes de vesti-las, evitar o acúmulo de lixos e entulhos e evitar deixar camas encostadas em paredes e roupas no chão são formas de prevenção

A aranha marrom é um aracnídeo peçonhento que todos podem ter em casa, e que pode trazer sérios problemas à saúde. Por isso, a Divisão de Vigilância Epidemiológica e Ambiental de Guarapuava faz um alerta sobre prevenção, e sintomas, em caso do indivíduo ser picado por ela.

Algumas mudanças na rotina e alguns cuidados que devem ajudar a evitar o contato com ela.

“Geralmente elas se escondem em roupas, cama, toalhas, sapatos, cortinas ou estofados. Então, o ideal é cuidar porque os acidentes geralmente acontecem quando menos se espera, num simples toque, como vestir uma calça ou calçar um sapato sem antes olhar, chama atenção a Chefe da Divisão de Vigilância Ambiental, Suzana Souza.

SINTOMAS

A picada da aranha marrom pode ser indolor, somente depois de 12 a 14 horas é que os sintomas podem aparecer. 

Podem surgir inchaço e vermelhidão na área da picada, além do aparecimento de uma bolha de conteúdo seroso, calor, dor, queimação, enduração e até mesmo necrose e lesões hemorrágicas.

Além disso, a vítima pode sentir fraqueza, febre, dor de cabeça e muscular, mal-estar, visão turva, diarreia e vômito.

PREVENÇÃO

• Limpar frequentemente móveis como baús, cômodas e atrás de quadros pendurados na parede;

• Sacudir as roupas antes de vesti-las;

• Evitar o acúmulo de lixos e entulhos;

• Evitar deixar camas encostadas em paredes e roupas no chão.

****Secom/Pref. de Guarapuava/com edição****

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.