Atendimento a mulheres vítimas de violência continua durante o decreto restritivo

Estão suspensas apenas as oficinas, cursos, reuniões e atendimentos presenciais do Departamento de Gestão e Articulação da Secretaria

A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres de Guarapuava mantém os serviços essenciais da Rede de Enfrentamento à violência, mesmo durante a vigência do decreto nº 8.725, de 17 de maio de 2021.

A Patrulha Maria da Penha, responsável por monitorar mulheres com medidas protetivas e a Casa Abrigo, que acolhe as vítimas em risco iminente de morte, seguem com os atendimentos na forma habitual.

O Centro de Referência e Atendimento à Mulher em situação de violência (CRAM), vai realizar o atendimento pelo telefone e WhatsApp (42) 98405-6206, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Já a concessão de medidas protetivas pelo Poder Judiciário, estão mantidas de acordo com o Protocolo do Tribunal de Justiça.

Estão suspensas apenas as oficinas, cursos, reuniões e atendimentos presenciais do Departamento de Gestão e Articulação da Secretaria. Os demais serviços estão sendo feitos em escala, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Assim que for possível, serão retomados os serviços de fortalecimento psicológico e socioassistencial de maneira presencial.

A Delegacia da Mulher segue com o atendimento online para registros de Boletins de Ocorrência pelo endereço clique aqui e presencial para requerimento de medidas protetivas e informe de descumprimento.

Em caso de emergência, contate a Polícia Militar pelo telefone 190.

****Secom/Pref. de Guarapuava/com revisão****

error: