Sesa reforça importância dos cuidados preventivos contra a dengue durante o verão

De acordo com o último boletim, mais 122 casos foram confirmados

O boletim semanal da dengue publicado nesta terça-feira (22) pela Secretaria da Saúde do Paraná confirma mais 122 novos casos da doença.

No atual período epidemiológico, com início em agosto, o Estado totaliza 1.497 casos, distribuídos em 175 municípios, com 5 óbitos pela doença.

Até o momento são 15.981 notificações para a dengue.

“O verão, que teve início ontem, dia 21, é a estação mais propícia para a proliferação do mosquito da dengue em função das chuvas. O Aedes aegypti se reproduz em água parada, por isso é importante repetirmos sempre que a principal medida preventiva para a dengue é evitar recipientes e vasilhames destampados ou qualquer local que acumule água nas áreas externas e internas das residências, pois estes pontos podem se transformar rapidamente em criadouros para o mosquito”, afirmou o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto.

APOIO

“Mesmo diante da pandemia da Covid-19, a Sesa segue em alerta contra a dengue; o combate ao Aedes aegypti é uma ação de Estado e sob orientação do governador Ratinho Junior, disponibilizamos em 2020 cerca de R$ 3,3 milhões para ações de enfrentamento em 118 cidades que apresentavam cenários mais preocupantes”, acrescentou Beto Preto.

Os municípios receberam entre R$ 18 mil a R$ 200 mil, considerando as dimensões epidemiológicas, demográficas e socioeconômicas e os recursos foram aplicados em ações de suporte e aquisição de insumos clínicos e na infraestrutura de atendimento ambulatorial e hospitalar para a dengue.

PLANO

Como principal medida de combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, a Sesa lançou em outubro o Plano de Ação para o Enfrentamento da Dengue, Zika vírus e Febre Chikungunya para o período epidemiológico 2020/2021 com o apoio do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

O Plano Estadual prevê ações de preparação para o período de maior transmissão, que é o verão, e a principal ação que já está em implantação em todo estado é a integração das equipes profissionais da Vigilância com a Atenção Primária e Urgência e Emergência, o que agiliza a investigação dos casos e busca a melhoria no acolhimento, atendimento e acompanhamento do usuário da saúde.

Entre outubro e dezembro, a Sesa realizou cinco webconferências para qualificação e integração dos profissionais. Foram registradas de mais de 800 conexões em tempo real e mais de 5 mil visualizações dos conteúdos.

O Plano prevê até o final do mês o funcionamento de 60 Unidades Sentinelas, distribuídas nas 22 Regionais de Saúde, para o monitoramento do sorotipo circulante de dengue nas regiões do estado.

POPULAÇÃO

“Mas para que as ações surtam resultados e que o combate à dengue seja realmente efetivo, reforçamos mais uma vez que é imprescindível a participação da população na eliminação dos criadouros do mosquito transmissor da doença. A dengue mata e o controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti depende do apoio de todo paranaense”, acrescentou o secretário Beto Preto.

BOLETIM

A Sesa informa que seguirá o monitoramento da dengue mesmo durante o recesso das festas de final de ano.

O próximo boletim será publicado na segunda quinzena de janeiro 2021, no dia 12.

(Reportagem/com revisão: Secretaria da Saúde do Paraná)

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.