Sistema prisional imuniza servidores da linha de frente contra a Covid-19

Objetivo é imunizar profissionais que vão aplicar as doses integrantes do sistema penitenciário. Imunizante CoronaVac foi entregue pelo Governo do Estado e aplicado pela Secretaria Municipal da Saúde

A vacinação contra a Covid-19 foi iniciada no Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, na última semana, com os vacinadores, que são profissionais da saúde. O imunizante CoronaVac, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, foi entregue pelo Governo do Estado e aplicado pela Secretaria da Saúde de Pinhais em profissionais que atuam na unidade do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen/PR).

O objetivo, nesse momento, é imunizar os profissionais que vão aplicar as doses nos integrantes do sistema penitenciário. A aplicação da vacina segue os critérios estabelecidos pelo Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19.

“A primeira etapa da vacinação dentro do sistema prisional só poderia começar com aqueles que trabalham incansavelmente para cuidar de pacientes infectados pelo coronavírus, os agentes de saúde. Desta forma eles estarão preparados para a continuidade da imunização”, explicou o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

“Sem dúvidas, o início da vacinação contra a Covid-19 em servidores do Depen é um grande passo. Com isso, estamos evoluindo na luta contra o vírus, protegendo funcionários e detentos”, declarou o diretor geral do Depen, Francisco Caricati. “Estamos trabalhando para que, no seu devido tempo, a vacinação ocorra em todo o sistema prisional do Estado”.

VACINAÇÃO

Receberam as primeiras doses profissionais da saúde e do grupo de risco que atuam na linha de frente do CMP, que funciona como centro de atendimento à Covid-19 no sistema prisional do Estado. Neste ato simbólico, foram vacinados o médico Ivan Pinto Arantes e a auxiliar de enfermagem Eliane Frangullys.

“Após 10 meses de intenso trabalho nos atendimentos aos internos e servidores suspeitos e confirmados de coronavírus, a vacina veio para nos trazer esperança e renovação”, declarou a chefe do setor de epidemiologia do Depen, Lilian Zanchettin.

A definição de grupos prioritários seguiu critérios do Ministério da Saúde, como tempo de contato (ou exposição) com os pacientes infectados e pessoas com maior risco de complicações pela infecção causada pelo Sars-CoV-2.

HOMENAGEM

A imunização foi marcada por homenagens aos profissionais da saúde do sistema prisional. O ato demonstrou gratidão e reconhecimento aos profissionais que dedicaram os últimos dez meses na linha de frente do combate à pandemia.

“O início da vacinação dos servidores do Depen nos renova a esperança de dias melhores neste período de pandemia. Passamos por um ano difícil, mas o Departamento Penitenciário, por meio dos seus servidores, apresentou bons resultados na prevenção do contágio da Covid-19”, declarou o diretor do Complexo Médico Penal, Bruno Henrique Lopes.

error: