Polícia rodoviária realiza operação Serra Segura em Guarapuava

De acordo com a PRF, a ação já ocorre em diversos locais do país e tem, como objetivo, fiscalizar irregularidades em sistemas de freios, suspensão, direção e sinalização de veículos de carga, além de promover a saúde dos profissionais do transporte

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou nesta quarta-feira (9) a 11ª edição da operação Serra Segura na Unidade Operacional (UOP) do Guará, em Guarapuava. 

Essa ação já ocorre em diversos locais do país e visa fiscalizar, principalmente, irregularidades nos sistemas de freios, suspensão, direção e sinalização de veículos de cargas, além de promover a saúde dos profissionais do transporte.

A fiscalização, que ocorreu das 10h às 16h, contou com o apoio de equipes de enfermeiros e mecânicos da concessionária Caminhos do Paraná.

De acordo com a polícia rodoviária, enquanto os mecânicos faziam a avaliação geral do sistema de frenagem, suspensão e direção e, após a PRF efetuar a fiscalização da documentação e devidas orientações, o motorista era encaminhado para fazer uma avaliação da saúde com a equipe de enfermeiros.

NÚMEROS

Foram fiscalizados 48 veículos, sendo lavrados 49 autos de infração em razão de diversas irregularidades. Dois caminhões foram removidos ao pátio por não apresentarem condições mínimas de segurança para prosseguir a viagem. Outros 17 tiveram o documento retido e receberam um prazo para efetuar a regularização e apresentar o veículo com as irregularidades sanadas. 

Divulgação/PRF

Durante a operação, foi constatado que 29,41% dos veículos transitavam com um ou mais pneus em mau estado de conservação, além disso, 29,41% apresentaram problemas/irregularidades no cronotacógrafo; 23,53% problemas nos sistemas de iluminação/sinalização; 20,59% problemas no sistema de freios e 5,88% algum tipo de problema no sistema de direção.

Além disso, vários condutores foram flagrados desrespeitando o tempo de direção e descanso do motorista profissional. De acordo com a resolução 525/2015 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o motorista profissional é obrigado, dentro do período de 24h, a observar o mínimo de 11h de descanso, que podem ser fracionadas, sendo obrigatório o mínimo de 8h ininterruptas de descanso.

Esse modelo de operação promove o aumento da segurança viária, pois tira de circulação os veículos sem condições mínimas de segurança.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.