Homem é morto a tiros no bairro Vila Carli; Polícia Civil investiga o caso

De acordo com o delegado Bruno Miranda Maciozek, responsável pelo caso, o ex-patrão da vítima é suspeito de efetuar os disparos; o crime pode configurar homicídio qualificado, segundo o delegado

A Polícia Civil de Guarapuava está investigando o homicídio registrado nesta terça-feira (30) na rua Riachuelo, no bairro Vila Carli. Um homem (33 anos), que trabalhava como caminhoneiro, foi alvejado por disparos de arma de fogo e morreu no local.

De acordo com a Polícia Militar (PM), em seu relatório de ocorrências, a situação ocorreu no início da noite; uma das testemunhas, que é esposa (24 anos) da vítima, que falou com a PM e citou um homem como autor dos disparos. A ação foi registrada pela câmera de segurança de um hotel.

Nesta quarta-feira (31 março), o delegado da Polícia Civil responsável pelo caso, Bruno Miranda Maciozek, afirmou em entrevista coletiva que o ex-patrão do caminhoneiro é o principal suspeito.

“A princípio sim, seria ex-chefe dele. Tem essa relação laboral com a vítima”, disse o delegado, pontuando que uma quantia em dinheiro pode ter sido a motivação. “Pelo que foi levantado até o momento, a vítima reteve um valor que deveria ter sido repassado para o autor. Eles já vinham discutindo há algum tempo sobre isso, até que o autor efetuou esses disparos nesse desentendimento”.

De acordo com Maciozek, ainda não foram levantados elementos que confirmem que o crime foi premeditado. “No entanto, ele foi até o local e estava armado com arma de fogo, que permite que se possa deduzir que ele tenha planejado esse crime, sim”, completou.

Até o momento da coletiva, o suspeito não havia sido localizado pelos agentes.

REGISTRO
O delegado da Polícia Civil disse que a convivente da vítima estava no local e é uma testemunha ocular do fato, além do próprio registro em imagens pelo circuito de segurança.

“Já temos identificados como ocorreu, a hora que ocorreu, quantos tiros foram, que carro que o autor dirigia, entre outros fatos”, acrescentando que, agora, o trabalho da Civil é confirmar as suspeitas. “Juntar laudo de necropsia, laudo de local de morte, verificar se tem alguma outra testemunha, verificar se os envolvidos têm antecedentes criminais. Circunstâncias paralelas que podem ser relevantes para a elucidação do fato”.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.