Fundação Araucária investe quase R$ 60 milhões em pesquisa e inovação

Em 2020, foram lançadas 21 Chamadas Públicas e concedidas 4.177 bolsas de pesquisa e extensão

O ano em que a Fundação Araucária (FA) completou 20 anos de história também foi um dos mais difíceis no mundo por conta da pandemia da Covid-19. Enquanto muitos setores tiveram que parar suas atividades, a atuação da FA se fez ainda mais necessária no fomento à ciência, tecnologia e inovação.

Em 2020, foram lançadas 21 Chamadas Públicas e concedidas 4.177 bolsas de pesquisa e extensão. Foram disponibilizados R$ 59,1 milhões – a R$ 30,7 milhões da Fundação Araucárias e R$ 28,4 milhões de parceiros.

“Em meio às dificuldades vivenciadas nesta pandemia, as instituições ligadas à pesquisa científica e os investimentos em ciência se fizeram ainda mais necessários. Intensificamos nosso trabalho para contribuir com as ações do Governo do Estado no fomento à pesquisa e inovação em diversas áreas e, principalmente, no combate à Covid-19”, ressaltou o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig. 

Seguindo uma orientação do Governo do Estado, foi priorizado o fomento à pesquisa e ações de combate ao novo coronavírus. Uma grande chamada pública foi lançada em parceria com a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com a supervisão da Secretaria de Estado da Saúde e com o apoio da Itaipu Binacional.

O objetivo é conceder cotas institucionais de bolsas de extensão às Instituições de Ensino Superior para o desenvolvimento de projetos extensionistas voltados a ações de Prevenção, Cuidados e Combate à Pandemia do Novo Coronavírus.  Foram destinados para esta grande ação R$ 14,5 milhões.

O presidente da FA destacou ainda a importância do Sistema de Instituições de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, referência nacional e internacional. “Estas 12 instituições públicas que nós temos, sete estaduais e cinco federais, são as grandes responsáveis pelo posicionamento do Estado, que oscila entre segundo ou terceiro lugares no ranking nacional de tecnologia.”

REORGANIZAÇÃO

Em 2020 também foram desenvolvidas várias ações para fortalecer os ecossistemas de inovação com a implantação de Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação (Napis). Esta modalidade permite a reorganização de processos internos e externos, o relacionamento com parceiros e a captação de recursos.

A Araucária lançou em 2020 os seguintes Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação (Napis):  Sudoeste, Trinacional; Centro-Sul, Biogás, Genômica; Saúde, Segurança Pública; TaxOnline e o de Nanotecnologia.  São nove Napis regionais e 12 temáticos.

“Temos a vantagem de ter no Paraná um ambiente promotor de inovação em que a dinâmica da hélice quádrupla acontece. Este esforço conjunto só pode resultar em frutos de desenvolvimento socioeconômico e humano com a criação de riqueza e bem-estar. A estratégia Napi vem contribuir para o envolvimento dos ecossistemas de inovação do Estado para atingir estes objetivos”, afirmou o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da FA, Luiz Márcio Spinosa.

Conheça melhor o trabalho realizado pela Fundação Araucária – Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná no site http://www.fappr.pr.gov.br.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.