Corpo de mulher é encontrado carbonizado dentro de veículo incendiado no Jordão

Conforme a PM, a suspeita é que o corpo seja da mulher que desapareceu na noite desta segunda-feira (30); o filho (3 anos) dela foi encontrado sozinho na rua e relatou que um homem a havia matado

A Polícia Militar (PM) de Guarapuava encontrou um corpo carbonizado dentro de um carro, também incendiado, na estrada Junqueira, no bairro Jordão.

A suspeita é que se trate de uma mulher que desapareceu na noite desta segunda-feira (30). 

Ela foi vista pela última vez entrando em um veículo do mesmo do modelo do que foi encontrado. A pessoa encontrada no automóvel usava aparelho dentário, assim como a mulher.

Segundo o relatório policial, o GM/Onix tinha alerta de roubo. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Guarapuava. 

ENTENDA

Apesar de o carro ter sido localizado por volta das 5h desta terça-feira (1º), o caso teve início na noite de segunda-feira (30). De acordo com a polícia, um homem acionou a PM após encontrar uma criança andando sozinha no bairro Boqueirão.

O menino, de aproximadamente três anos, estava com a roupa suja de sangue e não apresentava nenhuma lesão. Para os policiais, ele contou o nome dos pais e, ao ser perguntado sobre o sangue, falou apenas que um homem teria pegado uma arma.

Diante da situação, a polícia acionou o Conselho Tutelar, que encaminhou a criança até o posto de saúde do bairro. Lá, uma pessoa reconheceu o mesmo e ele falou que “o homem pegou a arma e matou a mamãe”, segundo consta no boletim de ocorrência.

BUSCA

A PM foi até um endereço no bairro Morro Alto, que seria da mulher desaparecida. Lá, foi encontrado apenas o ex-marido e pai da criança. Aos policiais, ele relatou que estava separado dela e passou um outro endereço.

Nessa residência não havia ninguém e, durante o deslocamento, chegou a informação de que os proprietários da casa estariam no batalhão da PM. A filha do dono do imóvel apresentou algumas mensagens em que a mulher relatava estar indo até a Vila Jordão para ver uma possibilidade de trabalho.

Porém, na conversa ela também falava que o local era longe, que estava em meio a um matagal e com medo de estar sendo vítima de um sequestro. Depois disso, ela não deu mais notícias. Ainda conforme o relato à PM, a irmã da pessoa com quem ela trocou mensagens a viu entrando no veículo Onix, junto com o filho.

As testemunhas foram encaminhadas até a 14ª Subdivisão Policial (SDP). Ainda não há informações sobre o homem citado pelo menino.

error: