Saúde ativa mais 20 novos leitos de UTI Covid em Ponta Grossa

Com esta ampliação, a ala Covid do hospital conta agora com 60 leitos de UTI e 64 clínicos

O Governo do Estado ativou neste final de semana 20 novos leitos de UTI para atendimento exclusivo à Covid-19 no Hospital Universitário de Ponta Grossa (Campos Gerais). 

Com esta ampliação, a ala Covid do hospital conta agora com 60 leitos de UTI e 64 clínicos.

“O Governo do Estado realiza um grande esforço para atender todas as regiões neste momento considerado o mais crítico da pandemia; nos próximos dias planejamos abrir 200 leitos exclusivos para Covid-19; além da ativação no Hospital Regional de Ponta Grossa, ativamos também nesta sexta-feira (19) mais 20 leitos no Hospital Regional do Litoral, sendo 5 de UTI e 15 de enfermaria. Dentro deste planejamento está a abertura de outros 20 leitos no Hospital Universitário de Cascavel”, disse o secretário de Estado da Saúde , Beto Preto.

“Contamos com a orientação e todo o apoio do governador Ratinho Junior para a viabilização destes novos leitos clínicos e de terapia intensiva para os paranaenses; nosso objetivo é reforçar ainda mais a rede de atendimento à Covid-19 que hoje conta com mais 4 mil leitos ativados desde o início da pandemia”, afirmou o secretário.

 Segundo Beto Preto, neste mês já foram abertos 357 leitos de UTI e 890 de enfermaria. 

O Paraná tem atualmente 1.671 leitos de UTI e 2.787 leitos clínicos para adultos e, somados os pediátricos, são mais de 4 mil espaços exclusivos para atendimento da Covid-19.

PONTA GROSSA 

Dos 20 leitos de UTI ativados no Hospital Universitário de Ponta Grossa, 14 eram leitos de observação do Pronto Atendimento e foram convertidos em UTI e outros 6 foram criados a partir da chegada de novos equipamentos.

Parte da equipe profissional foi remanejada de outras áreas do hospital e também redirecionada de outras unidades de saúde do estado. A instituição ainda contratou técnicos de enfermagem para o atendimento nos novos leitos.

O secretário Beto Preto ressaltou que este trabalho de ativação de leitos, diante de uma estrutura hospitalar já chegando ao seu limite, depende do esforço conjunto de todas as esferas administrativas e dos poderes federal, estadual e municipal.

“Estamos fazendo tudo o que é possível ser feito em termos de estrutura hospitalar, medicamentos, vacinas, recursos humanos; todos os paranaenses infectados estão recebendo algum tipo de assistência graças a esta união de esforços de gestores; o momento é de união para alcançarmos o objetivo de salvar vidas e reduzir a transmissão da Covid”, ressaltou Beto Preto.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.