Paulo Lima, eleito com 1.729 votos, quer fazer mandato participativo na Câmara

Em entrevista concedida ao CORREIO, o novo parlamentar afirma que pretende desenvolver um mandato participativo, atuando em diversas áreas, e ser uma voz ativa na defesa dos direitos das Pessoas com Deficiência (PcD)

Na ordem dos candidatos mais votados nas eleições municipais de Guarapuava, o ex-coordenador do Procon, Paulo Lima, ocupa o segundo lugar. Ele somou 1.729 votos e garantiu uma das cinco cadeiras do Podemos na Câmara de Vereadores.

Em entrevista concedida ao CORREIO, o novo parlamentar afirma que pretende desenvolver um mandato participativo, atuando em diversas áreas e acatando sugestões da comunidade, e ser uma voz de defesa dos direitos das Pessoas com Deficiência (PcD) no Legislativo.

“Eu vejo que se na prática a gente conseguir [um mandato participativo], vamos fazer um bom trabalho. Não se limitando a um segmento só, e também não se limitando a uma região só da cidade”, detalha o vereador eleito.

Com mais de 20 anos de trajetória na vida pública, Lima já cumpriu mandato de vereador no município de Campina do Simão, de 2001 a 2004, fez parte da assessoria legislativa da Prefeitura de Guarapuava, entre 2005 e 2008, e assumiu a Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) em duas oportunidades.

“Eu vejo que, por esses anos de vida pública, eu posso contribuir muito, porque eu tenho mesmo conhecimento de qual é o verdadeiro papel de um vereador”, citando um amadurecimento em relação às eleições de 2012 e 2016, quando se candidatou ao cargo.

PcD
De acordo com Paulo, é necessária uma maior representação das pessoas com deficiência na Câmara. Isso porque, ainda existem demandas a serem atendidas na “terra do lobo bravo”, sobretudo no que diz respeito à acessibilidade.

“Eu falo isso porque tive um filho [com paralisia cerebral], que faleceu com 18 anos, e eu sei o que os pais, o que as famílias passam”.

De acordo com Paulo, é necessária uma maior representação das pessoas com deficiência na Câmara (Foto: Lucas Herdt/Correio)

CÂMARA
Além de Lima, outros dez candidatos que não cumpriam mandato no Legislativo foram eleitos em Guarapuava. São moradores e lideranças de bairros como o Residencial 2000, Palmeirinha e Xarquinho.

“Eu vejo que todos eles têm algo em comum, que é a questão de trabalhar para as pessoas, independentemente da sigla partidária. Se for algo para o bem, benéfico para a população, eu acredito que não vai haver oposição. Vai ser algo muito para o bem comum”, diz.

Ele também adianta que já conversou com seus novos colegas de Câmara.

PREFEITO
O vereador eleito deve ser um dos membros da base situacionista na Casa de Leis, já que compôs a coligação de Celso Góes (Cidadania), prefeito de Guarapuava a partir de 2021. Na sua avaliação, os próximos quatro anos serão positivos no município.

“Eu vejo que muito foi feito [na gestão de Cesar Silvestri Filho], e que agora, para essas partes de infraestrutura, que oneram muito os cofres públicos, é um pequeno percentual para concluir. O Celso vai poder estar investindo em áreas que talvez estejam deixadas de lado até hoje, até mesmo nas áreas culturais e esportivas, que demandam recursos”, ressaltando o avanço do saneamento básico e da pavimentação na cidade. “Os próximos quatro anos prometem”.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.