Cristóvão da Cruz afirma que irá lutar pelo ‘bem comum’ em Guarapuava

Em entrevista concedida ao CORREIO, o parlamentar eleito conta que sua vocação para a política surgiu dentro dos movimentos da Igreja Católica, através dos ministérios de Pregação e de Promoção Humana

Entre os novos nomes que engrossarão as fileiras da Câmara de Vereadores de Guarapuava está Cristóvão da Cruz (DC), morador do distrito da Palmeirinha. Ele concorreu pelo Democracia Cristã e somou 1.208 votos nas urnas.

Em entrevista concedida ao CORREIO, o parlamentar eleito conta que sua vocação para a política surgiu dentro dos movimentos da Igreja Católica, através dos ministérios de Pregação e de Promoção Humana.

“E ali eu vi, na política, um campo aberto para fazer o bem para as pessoas. Lógico, a política do bem. E como foi nascendo esse despertar, eu comecei a fazer parte do Ministério de Fé e Política, para eu aprender um pouco mais do que a Igreja Católica espera de um bom político”, explica Cristóvão, que é enfático ao dizer que é um representante do povo. “Vou lutar por aquilo que meu eleitor necessita. Meu reduto é a Palmeirinha, mas nada impede que eu lute pelos outros bairros”.

Nesse sentido, a ideia é desenvolver um mandato descentralizado e participativo, acatando ideias vindas da comunidade. “Ou seja, aquilo que a sociedade achar necessário. É esse tipo de projeto que eu, junto dos meus assessores, vamos estar desenvolvendo e levando para a Câmara.

CAMPANHA
De acordo com Cristóvão, seu trabalho durante a campanha eleitoral foi positivo, já que visitou quase todas as mais de mil casas do distrito da Palmeirinha.

“Foi algo maravilhoso, porque eu pude fazer uma campanha, tomando todos os cuidados com a covid, mas conversando diretamente com as pessoas, olhando no olho e apresentando a minha visão da política”, relata.

Inclusive, o vereador eleito diz que somou 880 votos apenas em sua comunidade.

Em relação ao seu posicionamento no Legislativo Municipal, Cristóvão adianta que será favorável às propostas benéficas para a população (Foto: Lucas Herdt/Correio)

PARTIDO
A busca por uma sigla partidária, explica Cristóvão, passou por uma legenda contrária ao uso de dinheiro público nas campanhas. Ele também cita o relacionamento com o presidente municipal do DC, André Tecchio, que concorreu à majoritária.

“Esse foi o motivo de eu estar no Democracia Cristã, e também por ser um partido cristão. Sendo um cristão católico, eu não poderia estar em um partido que fosse contrário ao cristianismo”, destaca.

POSIÇÃO
Em relação ao seu posicionamento no Legislativo Municipal, Cristóvão adianta que será favorável às propostas benéficas para a população.

“Eu não sou de esquerda, eu não sou de direita. Eu não sou de base, eu não sou de oposição. Eu sou do certo. Aquilo que o prefeito Celso Góes fazer, que for algo bom que vai somar para toda a sociedade, eu tô junto com ele. Agora aquilo que eu veja que vai beneficiar meia dúzia de pessoas, isso eu tô fora”, acrescentando que busca lutar pelo “bem comum”.

error: