Bruna Spitzner diz que lutará pela vida das mulheres guarapuavanas

Eleita para seu primeiro mandato com 1.269 votos, a guarapuavana tem a luta pelos direitos das mulheres como sua principal bandeira, e vê com bons olhos a composição de uma bancada feminina na Câmara de Vereadores

A guarapuavana Bruna Spitzner (Podemos) foi eleita com 1.269 votos e irá assumir, em 2021, o seu primeiro mandato na Câmara de Vereadores.

Tendo como principal bandeira a defesa dos direitos das mulheres, Spitzner relata, em entrevista ao CORREIO, que sua participação política em Guarapuava ficou mais acentuada após a morte de sua prima, Tatiane Spitzner, em 2018.

“Eu comecei a ficar um pouco mais ativa presencialmente nas atividades. Comecei a trabalhar junto ao Cram [Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência], comecei a trabalhar nas articulações do Dia Estadual de Combate ao Feminicídio, comecei a ser voluntária também, ajudando, ouvindo mulheres”, pontuando que, a partir disso, teve “interesse político em fazer algo maior”.

TRABALHO
Após assumir uma cadeira na Casa de Leis, ao lado de outras três vereadoras, Bruna diz que irá lutar pela vida das guarapuavanas. Com essa composição do Legislativo, ela acredita que será possível articular mais pautas voltadas às mulheres.

“Ainda não é o ideal. A gente luta pelo 50% [de homens e mulheres na Câmara], mas já é uma coisa que nunca aconteceu em Guarapuava. Tenho certeza que eu, junto das outras três vereadoras, a Terezinha, a Bia, a Cris, tenho certeza que vamos nos articular e vamos ter mais votos para poder representar o direito das mulheres”, destaca.

Em termos de atuação, Spitzner afirma que pretende combater a violência num sentido mais amplo, já que ela não ocorre exclusivamente no ambiente doméstico e se manifesta em diferentes setores no dia a dia.

“A minha bandeira é realmente a vida das mulheres, para que a gente viva numa sociedade mais segura, mais democrática, de mais igualdade e equidade”, ressaltando a busca por direitos e por um contexto em que “nenhum homem se sinta no direito de nos ver como posse”.

Vereadora eleita ressalta que pretende desenvolver um mandato participativo e colaborativo (Foto: Assessoria)

PARTIDO
De acordo com Bruna Spitzner, a escolha pelo partido Podemos passou justamente pelo histórico de atuação da legenda no combate à essa violência. Não à toa, a presidente do Podemos Mulher é Priscila Schran, atual secretária de Políticas Públicas para as Mulheres.

“Eu tenho um contato muito estreito com a Priscila, com a Eva Schran [ex-vice-prefeita de Guarapuava e primeira titular da pasta de Políticas Públicas para as Mulheres]. Elas foram as minhas mentoras, mesmo. E fazem um trabalho digno de reconhecimento nacional”.

REPRESENTAÇÃO
Eleita com 27 anos, Bruna é a guarapuavana mais jovem a assumir uma cadeira na Câmara de Vereadores, e acredita que conseguirá manter um diálogo com a juventude da cidade.

“A gente estreita os laços com pessoas que muitas vezes não eram interessadas em política, mas que hoje entendem que tudo que a gente vive envolve política. Políticas públicas, políticas de coletividade”, cita.

Além disso, a vereadora eleita ressalta que pretende desenvolver um mandato participativo e colaborativo, tendo um conselho com pessoas de todos os bairros e de todas as parcelas da população guarapuavana. “Eu quero pessoas diversas para que a gente consiga trazer representatividade”, finaliza.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.