Iguaçu está a um empate do acesso à Divisão de Acesso

Adversário da equipe de União da Vitória neste domingo (13), o Atlético Clube Paranavaí (ACP) precisa vencer e ainda fazer saldo de gols para conquistar a vaga na grande decisão. Na outra semifinal, o equilíbrio prevalece, já que Sport e Verê vêm de um empate no jogo de ida

Nas semifinais da 3ª Divisão de 2020, a Associação Atlética Iguaçu é o time mais perto de conquistar a vaga na final e o acesso à 2ª Divisão de 2021.

Ao Iguaçuzão, basta um empate neste domingo (13 dezembro), às 15h30, diante do Atlético Clube Paranavaí (ACP), fora de casa, no Estádio Mun. Dr. Waldemiro Wagner (WW). Uma derrota por um gol de diferença também classifica a equipe de União da Vitória.

Tudo porque a Pantera do Vale, como também é conhecido, venceu o primeiro jogo da semifinal, na quarta-feira (9), pelo placar de 2 a 0. Segundo o regulamento da competição, caso haja, ao término da segunda partida, igualdade de pontos ganhos, será considerado como primeiro critério de desempate o saldo de gols e, persistindo o empate, serão cobrados tiros livres diretos da marca do pênalti.

Trocando em miúdos, isso significa que ao Vermelhinho só resta vencer para somar também 3 pontos. Além da vitória, o ACP precisará convencer, pois será necessário saldo de gols para carimbar a vaga. No momento, o Iguaçuzão tem +2 gols.

Durante a 1ª fase da Terceirona, o Paranavaí teve apenas uma derrota (contra o Sport/Mamborê). No WW, continua invicto e mantém 100% de aproveitamento. Este histórico pode ser um fator decisivo na virada do Vermelhinho.

Tanto o Iguaçu quanto o Paranavaí têm longa trajetória no futebol profissional do Paraná, com passagens pela elite. Sediado em União da Vitória (região Sul), o Iguaçuzão já levantou o caneco da Divisão de Acesso Paranaense nos anos de 1987, 1991 e 1996, segundo informações de seu site. A última participação na 1ª Divisão foi em 2009, quando foi rebaixado.

Por sua vez, o ACP defende as cores da região Noroeste e foi campeão da Primeirona em 2007, numa final contra o Paraná Clube. Mas, de lá para cá, vive na gangorra, passando a frequentar as divisões inferiores nos últimos anos. Inclusive, em 2019 o Vermelhinho foi rebaixado à 3ª Divisão.

Além da disputa pelo título, a vaga na final também garante a subida à Divisão de Acesso do próximo ano.

Em desvantagem no mata-mata, o Vermelhinho precisa vencer e tirar a diferença do saldo de gols na partida da volta (Foto: Ilustrativa/ACP)

EQUILÍBRIO
Na outra semifinal da Terceirona 2020, também neste domingo (13), às 15h30, predomina o equilíbrio entre Verê FC e Sport/Mamborê.

A primeira partida entre as duas equipes terminou empatada em 1 a 1, na quarta (9), em Rolândia, na Região Metropolitana de Londrina. Portanto, neste domingo, uma vitória simples classifica qualquer um dos adversários; em caso de empate, decisão nos pênaltis.

A única vantagem é de que o Verê pode contar com o fator casa, já que receberá o Sport no Estádio Vila do Mar, em Verê, região Sudoeste.

É um confronto entre Sudoeste e Centro-Oeste. Ou não. Explica-se: em 2020, o Sport, que é um tradicional clube de Campo Mourão (Centro-Oeste), firmou uma parceria com a Prefeitura de Mamborê (mesma região). Mas, por conta da burocracia, teve de fazer suas partidas “em casa” no município de Rolândia (Norte).

Aliás, o Estádio Mun. Erich Georg foi cedido ao Leão pela Secretaria de Esportes de Rolândia. Este é um município que conta com dois clubes profissionais de futebol: o Nacional Atlético Clube (NAC), que disputa a 2ª Divisão, e o Rolândia Esporte Clube (REC), que foi rebaixando neste ano para a Terceirona.

Verê ou Sport. Quem conseguir a classificação à grande final também garante a vaga na 2ª Divisão de 2021.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.