Com vitória por goleada nesta quarta (2), Azuriz FC é campeão da Segundona em 2020

Apesar de ter perdido o primeiro jogo (1 a 0), o Azulão do Sudoeste venceu pelo placar de 3 a 0, levando vantagem no saldo de gols

Único invicto até a final da 2ª Divisão (ou Divisão de Acesso) em 2020, o Maringá FC parecia que seria o campeão pela terceira vez em sua história na Segundona. É, parecia…

Do outro lado, o emergente Azuriz FC (de Pato Branco) jogou água no chope do Dogão e venceu o jogo da volta, na tarde desta quarta-feira (2 dezembro), em pleno Estádio Regional Willie Davids, em Maringá. A torcida do Londrina costuma dizer que o WD é o seu “salão de festas”; mas tem outros times reivindicando esse local.

Apesar de ter perdido o primeiro jogo (1 a 0), o Azulão do Sudoeste venceu pelo placar de 3 a 0, levando vantagem no saldo de gols. Resultado: primeiro título do Azuriz, coroando a volta do município de Pato Branco à elite do futebol paranaense em 2021, rompendo um jejum de quase 30 anos dessa cidade.

E o placar do Azuriz foi construído no segundo tempo, em dois gols relâmpago com a bola rolando; e um de pênalti, nos acréscimos. A única derrota maringaense na Divisão de Acesso de 2020 custou caro, pois foi a perda do caneco.

O Azuriz conquista o título após somar 20 pontos em 13 jogos disputados. A equipe conquistou 5 vitórias, empatou outros cinco jogos e perdeu três. Foram 14 gols marcados e 8 gols sofridos, ficando com um saldo positivo de 6 gols. O artilheiro foi Tadeu, do Maringá, que anotou 7 gols na competição.

Agora, os dois finalistas se encontrarão novamente só em 2021, na 1ª Divisão.

Em pleno WD, o “salão de festas” dos adversários, jogadores do Azuriz comemoram título em cima do MFC (Foto: Azuriz)

TÉCNICO
Campeão em 2019 com o PSTC Procopense na 2ª Divisão, o técnico Reginaldo Vital repete o título no comando do Azuriz em 2020.

Mais do que isso, Vital também soma dois acessos seguidos, por equipes diferentes.

TRAJETÓRIA
Time fundado ao final dos anos de 2010, o Azuriz Futebol Clube teve uma ascensão meteórica até chegar à 1ª Divisão.

Em 2019, jogando por Marmeleiro (Sudoeste), a Gralha Azul ficou em 4º lugar na classificação geral da 3ª Divisão, parando nas semifinais. Os finalistas foram o Arapongas e o Andraus Brasil, que subiram para a 2ª Divisão. O título acabou ficando com a equipe de Campo Largo.

Mas, em 2020, problemas internos levaram o Arapongas a abrir mão da vaga. E o Foz do Iguaçu FC, que havia caído da 1ª para a 2ª Divisão, se licenciou da competição. Com isso, o Araucária EC e o Azuriz foram convidados ao acesso, participando do congresso técnico da Segundona.

Inclusive, a Gralha levantou voo e aportou em Pato Branco, para mandar seus jogos no Estádio Mun. Os Pioneiros.

Prejudicada pela pandemia de covid-19, a Divisão de Acesso deste ano teve de ser adiada e a 1ª rodada só rolou em setembro, com dez clubes participantes. Na 1ª fase, Maringá, Apucarana, Azuriz e Araucária conseguiram a classificação para as semifinais, que foram disputadas no sistema mata-mata.

Após vencer duas vezes o Cacique, o Dogão foi para a grande final; já o Azulão empatou seus jogos contra o Apucarana (zero a zero) e definiu a vaga nos pênaltis. Tanto a equipe maringaense quanto o time pato-branquense carimbaram o acesso.

Escudo tem um conceito geométrico

NOME
Um detalhe que chama atenção do torcedor é o nome do novo campeão da Divisão de Acesso. Segundo o site do clube, o nome é inspirado no “azure jay – gralha azul”, ave símbolo do Paraná. Inclusive, o escudo na camisa é um conceito geométrico que une as palavras “A” e “Z”.

Depois da mudança de cidade, o Azuriz acrescentou o “Pato Branco” ao nome, definindo como Azuriz Pato Branco FC. Agora, resta saber como será o desempenho na 1ª Divisão de 2021.

error: