Batel e Nacional fazem ‘jogo de seis pontos’ nesta terça-feira (10)

Como o campeonato tem somente mais duas rodadas para terminar a fase classificatória, programadas para 16 e 19 de novembro, as duas equipes precisam de uma vitória nessa partida atrasada da 6ª rodada da 1ª fase para iniciar a arrancada e fugir do descenso

Em situação delicada na tabela, Batel e Nacional Atlético Clube (NAC) entram em campo nesta terça-feira (10 novembro), em jogo atrasado da 6ª rodada da 1ª fase do Campeonato Paranaense da 2ª Divisão (ou Divisão de Acesso).

É o famoso “jogo de seis pontos”, às 15h30, no Estádio Mun. Érich Georg, em Rolândia. Traduzindo, significa que uma vitória (para qualquer lado que seja) representa uma esperança e também ajuda a afundar o adversário. É que tanto o Rubro-Negro quanto o Alviceleste estão na zona de rebaixamento, sendo que a equipe guarapuavana tem 2 pontos e o time rolandense, um pontinho.

Como a Divisão de Acesso tem somente mais duas rodadas para terminar a fase classificatória, programadas para 16 e 19 de novembro, as duas equipes precisam de uma vitória para iniciar a arrancada e fugir do descenso. “É fundamental vencer para trazer a responsabilidade no jogo contra o Joseense”, analisa o técnico batelino Rafael Andrade, em entrevista recente ao CORREIO.

Segundo ele, com uma vitória diante do Nacional, o Batel chegaria com tudo para enfrentar o Independente São Joseense, em 16 de novembro, pela 8ª rodada. Com 7 pontos e na 8ª posição (entre dez clubes), esta equipe de São José dos Pinhais é um adversário direto na briga contra o rebaixamento. Ou seja, se o Rubro-Negro engatar dois resultados positivos (NAC e S. Joseense), chegaria a 8 pontos e ultrapassaria o oponente da penúltima rodada, saindo finalmente da temida ZR.

Por isso, o embate contra o Guerreiro do Norte, nesta terça-feira, é encarado como uma “final”. Ou melhor, a primeira de três “finais”, tamanha é a importância. “Sabemos que são três ‘finais’. Não resta só jogar bem, tem que vencer. Final não se joga, final se ganha”, avalia o professor rubro-negro.

E, nessa reta final da 1ª fase, o Batel terá a vantagem de fazer as duas “finais” contra São Joseense e Araucária EC em casa, no tradicional Estádio Waldomiro Gelinski. “É uma vantagem. Mas desde que a gente vença o Nacional. Porque nos dá a possibilidade de matematicamente, sem depender de ninguém, já sair da ‘zona da confusão’ no próximo jogo, dentro dos nossos domínios”, afirma Andrade.

SAÍDA
Há quase um mês, a maioria dos participantes da Divisão de Acesso está apenas treinando, à espera de que o Nacional fizesse seus jogos atrasados. Vale lembrar que, como o time rolandense disputava a Série D do Brasileirão, seus compromissos pelo Paranaense tiveram de ser alterados.

Esse período de parada provocou uma troca de comando. Na Cidade Canção, o Maringá FC anunciou na última sexta-feira (6) a saída do técnico Beto Portella. No mínimo, é uma notícia inusitada, pois o treinador estava invicto na Segundona, classificado às semifinais e time líder da competição com um aproveitamento de 80,95%. A diretoria maringaense não entrou em detalhes sobre os motivos da dispensa.

No lugar de Portella, assumiu o antigo auxiliar técnico Jorge Castilho. Assim, Claudio Alexandre de Oliveira, o Claudinho, entra na vaga de auxiliar técnico.

Mesmo sendo líder, invicto e classificado, o Maringá FC teve mudanças no comando técnico (Foto: Assessoria)

FUTSAL
A 2ª fase da Série Prata do futsal paranaense chegou ao fim no sábado (7). No Grupo B, os classificados são Operário Laranjeiras (14 pontos) e Adab/Bituruna (9 pt); no Grupo C, avançam Coronel (10 pt) e São Miguel (10 pt). Os quatro farão as semifinais, após homologação dos resultados pela Federação Paranaense de Futebol de Salão (FPFS).

Com o empate diante da Apaf (3 a 3), o Clube Atlético Deportivo Cresol (CAD) ficou de fora da sequência do campeonato, dando fim às esperanças do torcedor guarapuavano de retornar à Série Ouro.

Mas, segundo a diretoria do CAD, o classificado São Miguel está envolvido em um imbróglio fora das quadras que pode custar sua vaga. Explica-se: como disputa a Liga Futsal Paraná (LFP), o Amarelinho pode ser excluído da Prata em conformidade com punição da FPFS.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.