Taxa de desemprego recua em Guarapuava, avalia estudo

A conclusão é de uma pesquisa do Núcleo de Estudos e Práticas Econômicas (Nepe), ligado ao Departamento de Ciências Econômicas (Decon) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro)

Em Guarapuava, a taxa de desemprego fechou outubro de 2020 em 10,44%. Ou seja, 1,03% menor que a taxa de setembro/2020, que foi de 11,47%. Isso significa que o desemprego de outubro deste ano voltou aos patamares de antes da pandemia.

A conclusão é de uma pesquisa do Núcleo de Estudos e Práticas Econômicas (Nepe), ligado ao Departamento de Ciências Econômicas (Decon) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro).

Segundo a professora Luci Nichay, que é economista e pesquisadora do Nepe, o índice é o melhor obtido em Guarapuava desde janeiro. “O mercado de trabalho local vem mostrando uma recuperação com quedas consecutivas nas taxas de desemprego, chegando em outubro com uma taxa de desemprego semelhante ao patamar de antes da pandemia”, explica, via Coorc.

De acordo com a pesquisadora, esse cenário positivo, com maior oferta de vagas de trabalho foi influenciado pela retomada da economia. Para ela, os postos fechados nos primeiros meses da pandemia estão sendo reabertos, ainda que de forma gradativa. Assim, em outubro, foram criadas 445 vagas, que estão, principalmente, nos setores da indústria, do comércio e da construção civil.

ACUMULADO
O estudo da Unicentro ainda revela que, no acumulado de janeiro a outubro/2020, o mercado de trabalho formal de Guarapuava ainda apresentou um saldo acumulado negativo de 60 postos de trabalho não recuperados, considerando a diferença comparativa entre admissões e desligamentos, apesar de dar sinais de recuperação gradativa.

Esse número é resultado do acumulado de 12.230 admissões contra 12.290 desligamentos ocorridos de janeiro a outubro/2020 em Guarapuava. Contudo, em outubro/2020, a “terra do lobo bravo” apresentou o melhor desempenho desde janeiro/2020, com um saldo positivo de 445 novos postos de trabalho.

Em outubro/2020, o mercado de trabalho guarapuavano apresentou um saldo positivo de 445 postos de trabalho, resultante da subtração de 1.727 admissões contra 1.282 desligamentos.

SETORES
Segundo o estudo, o saldo positivo de postos de trabalho em outubro foi influenciado, principalmente, pelo maior número de admissões do que desligamentos, principalmente, dos setores do comércio (+201), indústria (+116), serviço (+79) e construção (+47).

Em outubro/2020, nenhum setor apresentou saldo negativo na geração de novos postos trabalho em Guarapuava. O menor saldo foi observado no setor da agropecuária (2).

ESTOQUE
Em termos de variação relativa do estoque de postos de trabalho de Guarapuava, os setores da construção, comércio e industrial continuaram com tendência de variação positiva. O setor de serviços de Guarapuava que vinha apresentando constantes variações negativas apresentou uma variação positiva de 0,60%.

Em outubro/2020, o mercado de trabalho de Guarapuava apresentou um estoque de postos de trabalho de 38.512, ou seja, 1,01% maior que o estoque de setembro/2020 que foi de 38.069.

METODOLOGIA
O Nepe desenvolveu uma metodologia para estimar a taxa de desemprego mensal de Guarapuava (TDG). Esta metodologia é baseada nos dados secundários do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.