Procon realiza pesquisa de preços dos combustíveis; variação é de 11%

Comparado com o levantamento anterior, também feito pelo Procon em março de 2020, a gasolina comum teve um aumento de 16,62 %, sendo que na época o menor preço do litro de gasolina a era de R$ 4,15

O Procon de Guarapuava realizou pesquisa de preço dos combustíveis nos dias 19 e 21 deste mês, em 24 postos da cidade. Foram levantados os valores de comercialização das gasolinas comum e aditivada, etanol e diesel.

O menor preço encontrado para a gasolina comum foi de R$ 4,84 por litro e o mais caro R$ 5,19 por litro. Já com relação à gasolina aditivada, o valor variava entre R$ 4,85 e R$ 5,29. O litro do etanol custava, nos dias da apuração, entre R$ 3,55 e R$ 3,89; e o preço médio do litro de Diesel S-10 variava entre R$ 3,89 e R$ 4,19.

Foi verificada uma variação de até 7% no litro da gasolina comum, mas a maior variação está no litro de Diesel S-500 com 11% de diferença entre o maior e menor valor.

Comparado com o levantamento anterior, também feito pelo Procon em março de 2020, a gasolina comum teve um aumento de 16,62 %, sendo que na época o menor preço do litro de gasolina a era de R$ 4,15.

Os aumentos consecutivos no preço da gasolina motivaram a publicação do Decreto do Governo Federal n º 10.634, de 22 de fevereiro de 2021, que entrará em vigor no prazo de 30 dias, e prevê uma maior transparência dos postos de combustíveis na hora da divulgação dos preços, os quais deverão constar os preços reais e promocionais dos combustíveis, deixando claro o percentual de desconto aplicado em caso de utilização de apps ou programas de fidelidade.

Os pontos também devem informar os valores estimados de tributos das mercadorias e dos serviços oferecidos por meio de painel afixado em local visível do estabelecimento.

CORREIO

No início desta semana, o CORREIO publicou pesquisa exclusiva sobre a variação de preços em Guarapuava. No caso da gasolina comum, esse levantamento feito a partir de consulta ao aplicativo Menor Preço (do Nota Paraná) apresentou números semelhantes aos dados revelados agora pelo Procon.

A matéria na íntegra pode conferida CLICANDO AQUI.

****************Com informações da Secom

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.