Obras na BR 277, em Guarapuava, devem ficar prontas em 18 meses, diz secretário

Sandro Alex ressaltou que o Governo do Estado conseguiu uma significativa economia na obra, que inicialmente era estimada em mais de R$ 100 milhões e a licitação ficou na casa de R$ 77 milhões

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, afirmou nesta quarta-feira (14), em coletiva de imprensa após o lançamento da pedra fundamental da duplicação da BR 277, em Guarapuava, que as obras devem ser finalizadas em até 18 meses.

O evento contou com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Jr., do prefeito Celso Góes, dos deputados estaduais Cristina Silvestri, Artagão Jr., Rodrigo Estacho e Ademar Traiano – que é presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) -, além de lideranças políticas de toda a região.

“Essa duplicação em Guarapuava tem um prazo máximo de 18 meses. Nós queremos antecipar essa obra como fizemos em Foz do Iguaçu, antecipando a entrega da ampliação da pista do aeroporto em quatro meses”, disse em coletiva.

Sandro Alex também ressaltou que o Governo do Estado conseguiu uma significativa economia na obra, que inicialmente era estimada em mais de R$ 100 milhões e a licitação ficou na casa de R$ 77 milhões.

A duplicação da BR 277 é uma antiga demanda da comunidade guarapuavana, devido aos problemas de mobilidade e de segurança do atual perímetro urbano da rodovia federal. Esse anseio, inclusive, foi ressaltado por Ratinho Jr.

“É um complexo de obras para atender Guarapuava e, acima de tudo, proteger a vida das pessoas que passam aqui. Infelizmente, pelo volume de pessoas que cruzam a rodovia, pelo volume de caminhões e carros diariamente, praticamente todo dia tinha um acidente”, pontuou o governador.

Também atendendo a imprensa, o prefeito Celso Góes destacou que as obras eram reivindicadas há mais de 30 anos e as melhorias serão no trânsito e na segurança dos usuários da rodovia federal.

“Nós temos vários pontos de conflito durante esse trecho da BR 277 que muitas vidas, durante esses 30 anos, foram ceifadas”, disse. “Essa obra vai gerar empregos, porque as empresas que venceram [a licitação], o consórcio, são guarapuavanas. É muito importante para nós, porque os empregos permanecem na nossa região”.

Evento de lançamento da pedra fundamental ocorreu na tarde desta quarta (14), em Guarapuava (Foto: Samilli Penteado/Correio)

DETALHES
As obras contemplam uma extensão de 3,6 quilômetros, com duas pistas de rolamento, acostamento, trincheira, pontes, viaduto e iluminação. O projeto inicia no trecho duplicado existente e segue até o Km 350 da rodovia, próximo ao Aeroporto Regional Tancredo Thomas de Faria.

Serão duas faixas de tráfego em cada sentido, separados por barreiras de concreto New Jersey e acostamentos externos de dois metros e meio. As novas vias marginais serão implantadas dos dois lados da nova duplicação. A obra contempla também a instalação de uma trincheira entre a rua João Fortkamp e a Campo Grande.

E ainda a duplicação do viaduto no entroncamento com a PR 466 e adequação de suas alças de acesso, três pontes no Km 345,5 e um viaduto conectando a avenida Pedro Carli. Além de uma trincheira de acesso para o aeroporto, uma passarela no Km 349,3 e outra no Km 345.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.