Contratação de trabalhadores temporários deve crescer no PR

Segundo sondagem da Fecomércio PR, para recompor o quadro funcional reduzido durante a pandemia, 25,5% das empresas do setor terciário paranaense pretendem contratar temporários neste fim de ano. Em 2019 esse percentual era de apenas 8,9%

Duramente atingido pela pandemia de covid-19 ao longo de 2020, o mercado de trabalho no Brasil deve ganhar um alento neste final de ano.

Ao que tudo indica, a contratação de trabalhadores temporários tem horizonte positivo. Segundo sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), para recompor o quadro funcional reduzido durante a pandemia, 25,5% das empresas do setor terciário paranaense pretendem contratar temporários neste fim de ano. Em 2019 esse percentual era de apenas 8,9%.

De acordo com o Departamento de Pesquisas da Fecomércio PR, o crescimento da pretensão de contratação de temporários em 2020 na comparação com o ano passado se deve ao fato de que a maioria das empresas está com o quadro funcional mais enxuto e, para suprir o aumento nos atendimentos de fim de ano, terá que contratar funcionários temporários.

Em nível nacional, cerca de 400 mil vagas temporárias devem ser criadas no último trimestre deste ano, segundo projeção da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem). A previsão era de que indústria puxaria as contratações em outubro para suprir a alta demanda do mercado, com vagas nos segmentos de alimentos, farmacêutico, embalagens, metalurgia, mineração, automobilístico e agronegócio.

Já nos meses de novembro e dezembro, o destaque deverá ser o comércio, seguido pelo setor de serviços, principalmente por causa da Black Friday e Natal.

(Fonte: Fecomércio

SETORES
Segundo o levantamento da Fecomércio, o setor de turismo, que teve as maiores perdas nos últimos meses, tanto em termos de faturamento quanto de empregos, tem a maior perspectiva de contratações temporárias, com 40,0%. No varejo, 36,1% das lojas vão abrir vagas temporárias e no setor de serviço, 17,6%.

O reforço no time de funcionários será de pelo menos um colaborador para 44,4% das empresas entrevistadas. Outras 42,9% planejam contratar até cinco pessoas. Os estabelecimentos que devem admitir entre seis e dez novos membros na equipe correspondem a 4,8% e as empresas que vão contratar mais de dez pessoas somam 3,2%.

BLACK FRIDAY
A Black Friday, que deve intensificar as promoções até o próximo dia 27 de novembro, influenciou na decisão de contratações de 14,3% dos empresários entrevistados. Destes, 9,5% anteciparam as admissões de temporários para atender ao aumento no movimento e para 4,8%, além da data, a Black Friday influenciou também no número de vagas.

(Fonte: Fecomércio)

VAGAS
As vagas temporárias mais citadas pelos entrevistados serão abertas principalmente para as funções de vendedor (44,4%) e atendente geral (42,9%). Outros tipos de vagas a serem ofertadas serão para os cargos de caixa, profissional de alimentação, garçom, estoquista, auxiliar geral, camareira, empacotador, telefonista, conferente, vitrinista, fiscal de loja e segurança.

A escolaridade exigida para a maioria das vagas, com 77,8%, será o Ensino Médio. Outros 15,9% devem exigir ao menos do Ensino Fundamental; 6,3% o Ensino Técnico e, 4,8% demandarão que o candidato tenha o Ensino Superior completo. Já, 12,7% citaram que não exigirão comprovação de escolaridade na contratação.

EFETIVAÇÃO
As chances do emprego temporário se tornar definitivo também serão maiores esse ano. Isso porque 82,5% das empresas que pretendem contratar temporários têm expectativa de efetivar esses trabalhadores. No ano passado, a oportunidade de efetivação era de 68,0% e em 2018, de 69,8%. As efetivações devem ser superiores este ano para repor as vagas perdidas em função da pandemia, sinalizando uma expectativa positiva para a economia em 2021.

PANDEMIA
Como não poderia deixar de ser, 54,7% dos entrevistados reportaram que a pandemia impactou na decisão de contratação de temporários. Dos empresários que não pretendem abrir vagas neste fim de ano, 54,3% atribuíram tal limitação à crise da Covid-19.

Já entre os empresários que irão contratar, 55,6% declararam que foram influenciados pela pandemia e citaram os impactos em: 68,6% na quantidade de funcionários temporários a serem contratados; 45,7% na efetivação dessas contratações; 37,1% no valor dos salários e benefícios dos contratos temporários; 20,0% no tipo de cargo ofertado e 8,6% nas exigências como escolaridade e experiência.

**********Com informações de assessoria da Fecomércio

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.