29% dos empresários do PR acreditam em vendas iguais a 2020 em Dia das Mães deste ano, diz pesquisa

Foram ouvidos mil empresários nas regiões de Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel, Guarapuava, Ponta Grossa e Francisco Beltrão. Objetivo da pesquisa foi detectar a impressão dos empresários neste cenário de pandemia, com protocolos e decretos limitando a atividade comercial

Para boa parte dos empresários paranaenses, a expectativa é de estabilidade ou melhoria nas vendas em 2021 para o Dia das Mães. É o que revela uma pesquisa contratada pela Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap).

Segundo informações, foram entrevistados mil empresários de Curitiba e Região Metropolitana, Londrina, Maringá, Cascavel, Guarapuava, Ponta Grossa e Francisco Beltrão, entre 3 e 7 de abril.

Tradicionalmente, o Dia das Mães é a segunda data comercial mais importante do varejo brasileiro. O objetivo da pesquisa foi detectar a impressão dos empresários neste cenário de pandemia, com protocolos e decretos limitando a atividade comercial.

Para 2021, o levantamento da Faciap revelou que 29% acreditam que vão vender igual ao ano passado, e para 24% as vendas serão superiores a 2020. Ou seja, 53% têm a expectativa de estabilidade ou melhoria nas vendas.

Mas 36% acreditam que será inferior. “Em decorrência das limitações impostas pelo coronavírus, sobretudo a bandeira vermelha em todo o estado – com isolamento social, lojas fechadas, cenário econômico desfavorável – a segunda data mais importante para o comércio será novamente afetada negativamente este ano”, diz trecho da pesquisa.

Nesse sentido, Cascavel é a região mais otimista, pois metade dos comerciantes acredita que será igual ao ano passado, seguido de superior. Já em Ponta Grossa (que inclui Guarapuava na amostragem), a expectativa é de queda de 9% nas vendas.

Em relação à economia, os empresários mostraram-se preocupados, porém esperançosos. O Índice de Confiança do Comerciante, que avalia o entusiasmo em relação à atual situação econômica do Brasil e à situação financeira dos clientes para os próximos seis meses, ficou em 125 pontos, numa escala de 0 a 20, o que demonstra confiança na melhoria das vendas.

“O momento é único em função da pandemia, de preocupação momentânea e otimismo com o futuro. Acreditamos que com o controle da pandemia, a economia vai retormar seu curso normal, com aumento da produção, de empregos e do consumo. Nossa maior preocupação no momento é com a vacinação, que precisa ser acelerada e para isso contamos com o apoio do poder público”, afirma o presidente da Faciap, Fernando Moraes, via assessoria.

INVESTIMENTOS
A pesquisa Faciap mostra, também, que a maioria dos lojistas, em média 61%, afirmam que a pandemia continua afetando a vida do comerciante.

Nesse período, os comerciantes se viram obrigados a se adaptar à nova realidade e, inclusive, investir no seu negócio para amenizar essa queda nas vendas. Grande parte deles (62%) investiu na contratação de entregadores/delivery, em comunicação e em vendas online.

METODOLOGIA
A pesquisa foi coletada, tabulada e analisada pelo Datacenso Pesquisa e Inteligência de Mercado. Já a margem de erro é de 3,1%, no geral, considerando grau de confiança de 95%, sendo satisfatória para uma análise estatística.

A coleta de dados foi realizada por telefone e e-mail no período de 3 de abril a 7 de abril de 2021.

O levantamento completo está AQUI.

********Com informações da Assessoria de Comunicação/Faciap

error: