SatisFire é a primeira banda de metal nacional a disponibilizar NFT

Com a música “Blood on the Ground”, o grupo paranaense (surgido em Guarapuava) aposta na independência e possibilidade de maior visibilidade e receita no novo mercado de NFT (Non-fungible token)

“No pain, no gain!”, quantas vezes você teve que ouvir isso, músico brasileiro? Mas, agora pode ser diferente, more more gain pela mesma pain! E quem vem chegando nessa ideia porrada é a banda paranaense de metal Satisfire.

Olha só: com o lançamento da plataforma All Be Tuned, que tem uma compositora brasileira como CEO, Taynaah Reis, artistas de todo o mundo poderão vender direitos de seus fonogramas diretamente ao público geral e aos possíveis investidores do mercado musical, dando maior controle aos autores pelas suas obras e possibilitando maior democratização das transações comerciais em torno das músicas.

Nesse formato, pode ser ainda destinada parte da receita da música ou álbum para a Moeda Seeds (“dinheiro eletrônico” que a plataforma utiliza para as transações), revertendo parte dessa renda para projetos sociais. Assim, os criadores de arte musical podem ter controle de sua obra, controle de sua receita, e ainda beneficiar a sociedade.

(Foto: Reprodução)

O que até então era um ringue para artistas, independentes ou não, poderá se tornar um palco de vitórias, e totalmente sintonizado com a trajetória da banda Satisfire, que brigou cada palmo de terra que andou, desde sua trajetória há 20 anos. Fundada em Guarapuava, no Paraná, a banda já gravou com projetos como Meninos dos Tambores; já lançou álbuns e clipes de forma independente, com ajuda de parceiros ou com o cash dos próprios shows; tendo sempre em seu repertório algo inusitado, como a mistura de baião, reggae e outras pegadas brazucas ao metal. Aliás, o álbum de estreia foi produzido por Ricardo Confessori, ídolo batera brasileiro, que já fez parte da banda Angra e atualmente está no Shaman.

Para a plataforma, a banda escolheu disponibilizar a música “Blood on the Ground”, lançada originalmente em 2013, um bom metal, que mescla timbres e pegadas clássicas metaleiras a algo novo-pop, com o mote LUTA. E quem tá na luta se antecipa e dá porrada, e foi pra isso que os caras vieram.

Dá um check nos links (CLIQUE AQUI) e saiba mais.

*********Texto: Kaio Miotti, com edição

error: