Museu busca resgatar e conservar a história de Pitanga

Com diversos objetos expostos para pesquisadores e curiosos, o Museu Municipal Francisco Bobato conta com um vasto acervo que descreve o ontem e o hoje do município

Para um bom amante da história, o Museu Municipal Francisco Bobato, em Pitanga, é um prato cheio para quem quer conhecer o município, o Paraná e o Brasil.

Localizado na rua 28 de Janeiro, em frente à Prefeitura, no Centro, o museu conta com um grande acervo de peças doadas por moradores que querem e têm o interesse de preservar a memória e a história de seus antepassados. 

A diretora de cultura, Tayrine Binde Orben, explica que sempre agradece os moradores que ainda têm a sensibilidade de resgatar a passagem de muitos que marcaram a história e a vida dos pitanguenses. 

“O Museu Municipal Francisco Bobato de Pitanga possui em seu acervo peças que contam a origem e evolução do nosso município, e tem um acervo muito rico e superinteressante, principalmente para os pesquisadores”, destaca. 

Por ser um ponto turístico importante para quem quer pesquisar e entender o que era e o que é a cidade de Pitanga, o museu dedica-se a conservar e estudar os muitos objetos de valor artístico e histórico. 

O MUSEU

Tayrine lembra que a criação do museu na época foi de suma importância para que, nos próximos anos, os mais jovens soubessem do passado da cidade e pudessem entender melhor sobre seus avós, por exemplo.

“Oficialmente, ele foi inaugurado em 4 de novembro de 1995. Seu nome é em homenagem a um antigo pioneiro do município, Francisco Bobato, que foi vereador e sócio fundador da Associação dos Criadores do Centro do Paraná”, conta. 

Orben comenta que o próprio museu, em tempos normais, recebe muitos visitantes curiosos sobre a história da cidade, mas, principalmente, pesquisadores que precisam de ajuda. 

“Para a formação do acervo, foram doados objetos, utensílios, documentos e fotos pelos próprios munícipes. Nele há peças raríssimas, peças arqueológicas e indígenas, ferramentas antigas, objetos da evolução da tecnologia, como televisores, telefones, celulares, máquina de escrever e computadores”, salienta.

IMPORTÂNCIA

A diretora de cultura ainda reitera que dentro da instituição, há muitos objetos preciosos de até dois séculos, e que sem os moradores que doaram esses ícones, nada seria possível. 

“Dentre as várias peças, pode-se citar uma máquina fotográfica da década de 1960, uma capa de chuva de tropeiros de 1940 e um piano que foi fabricado entre 1857 e 1858, que pertencia às irmãs do Colégio Santa Terezinha”, ressalta. 

De acordo com Tayrine, qualquer pessoa pode doar itens que façam parte da história pitanguense. “O Museu Municipal Francisco Bobato conserva fontes históricas que compreendem o processo da história do município de Pitanga, que dispõe de um importante instrumento de preservação da memória cultural do nosso povo e responsável por seu patrimônio material e imaterial”.

***Lucas Herdt, especial para CORREIO

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.