‘Temos que ir ao encontro das necessidades do produtor’, diz Vezzaro

Em entrevista concedida ao CORREIO, o secretário municipal de Agricultura, Itacir Vezzaro, destaca a importância da agricultura familiar, que desempenha fundamental papel na produção de alimentos em Guarapuava

O secretário municipal de Agricultura, Itacir Vezzaro, que recentemente completou 30 dias à frente da pasta, destacou em entrevista ao CORREIO a importância dos pequenos agricultores para a produção de alimentos na região.

É das pequenas propriedades no interior de Guarapuava que vêm um grande volume de leite, ovos, verduras, legumes e frutas que são comercializados na cidade, e que compõem o prato do guarapuavano no dia a dia.

Frente a esse cenário, Vezzaro acredita que é preciso adotar uma proposta de trabalho que venha ao encontro das necessidades e anseios desses agricultores. A manutenção de estradas, por exemplo, é uma pauta frequente no município.

“Guarapuava é um caso atípico porque temos mais de 5 mil km de estradas, é um trabalho, e com essas duas ou três semanas de chuvas, temos um problema bem sério que é a retirada da safra”, diz o secretário municipal. “A proposta é fazer a pavimentação – com pedras irregulares ou asfalto – em pontos críticos”.

IMPACTO
Em meio às fortes chuvas que atingiram Guarapuava no mês de janeiro, e que geraram perdas na produção de hortaliças, Itacir destaca a necessidade da diversificação das culturas trabalhadas nas pequenas propriedades.

“É importante que se diga que além disso [da manutenção e pavimentação de estradas], nós temos que oferecer, para minimizar essa situação, alternativas de diversificação das atividades, fazer com que ele não tenha só verduras, mas tenha frutas, ovinocultura, produção de ovos… outras atividades”, citando um equilíbrio para melhor proveito da mão de obra e da terra disponíveis.

TRABALHO
De acordo com Vezzaro, a sua volta para a pasta municipal – ele já havia assumido a Secretaria de Agricultura na primeira gestão do ex-prefeito Cesar Silvestri Filho, em 2013 – visa colocar em prática projetos para atender os produtores.

“Nós vamos trabalhar de forma muito diversificada, de forma a levar para a família do agricultor qualidade de vida. Não é só produção, não é só dinheiro. Nós vamos trabalhar no [lado] econômico, sim, mas também social e ambiental”, cita Itacir.

Nesse sentido, algumas pautas que serão abordadas nesta gestão são a regularização fundiária, habitação rural e abastecimento hídrico.

“Nós vamos, na medida do possível, perfurar poços artesianos e buscar parcerias para que a gente possa fazer a rede de distribuição”, destacando a importância de um trabalho sustentável no campo “para que o agricultor possa deixar, para suas gerações futuras, melhor do que ele recebeu”.

***************Reportagem: Douglas Kuspiosz e Lucas Herdt

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.