Perspectivas para cevada e trigo permanecem boas na região de Guarapuava

De acordo com o boletim divulgado pelo Departamento de Economia Rural (Deral) na sexta-feira (28 maio), é esperada uma produtividade de 5,05 mil kg/ha de cevada e 4,2 mil kg/ha de trigo

As perspectivas para a safra dos grãos de inverno – principalmente nas culturas de cevada e trigo – permanecem positivas na região de Guarapuava, segundo dados divulgados na sexta-feira (28 maio) pelo Departamento de Economia Rural (Deral) do Paraná, ligado à Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab).

Acompanhando os relatórios anteriores, o Núcleo Regional de Guarapuava deve registrar um tímido aumento de área de cevada, de 38,1 mil hectares para 39,5 mil hectares. Por outro lado, a tendência é que a produção total cresça 16%, saindo de 171.831 toneladas para 199.475 toneladas.

Com isso, a produtividade deve ter uma elevação de ordem semelhante: 12%. O grão de inverno, que é protagonista em Guarapuava, deve registrar rendimento de 5,05 mil kg/ha nesta safra, enquanto teve 4,51 mil kg/ha na anterior.

Já a cultura do trigo, apesar de ter uma produtividade estimada em 4,2 mil kg/ha, terá uma produção superior à de cevada: 257.040 toneladas, cerca de 33% a mais do que foi colhido em 2020, com 193.857 toneladas.

Trata-se de dois grãos de inverno que desempenham importante papel agrícola em Guarapuava, e que respondem pelas duas maiores áreas nesta época do ano. Segundo o Deral, a região terá 61,2 mil hectares de trigo – em 2020, foram 54,15 mil hectares.

TRITICALE
A segunda safra de milho até chegou a ter um pequeno aumento de área, saindo de 7,25 mil hectares para 9,2 mil hectares, mas a produtividade deve ser significativamente menor que a de 2020. A redução, estima o Deral, será de 21%, caindo de 4.654 kg/ha para 3.662 kg/ha na região. A nível estadual, a quebra do milho foi ocasionada pela falta de chuvas no período de desenvolvimento das plantas e pela presença de doenças e pragas, em decorrência do clima.

Frente a esse cenário, o triticale tem se mostrado como uma boa oportunidade de mercado para os produtores, já que pode substituir o milho em algumas situações.

A tendência é que esse grão tenha rendimento de 3,9 mil kg/ha, resultado 14% superior ao de 2020, quando foram colhidos 3,42 mil kg/ha na região de Guarapuava. A produção total também deve crescer, saindo de 9.918 toneladas para 11.700 toneladas.

“O produtor deve aumentar um pouco a área, justamente porque o triticale pode substituir o milho na ração, então tem um mercado interessante para o segundo semestre, em função da quebra da produção de milho”, afirmou o presidente do Sindicato Rural de Guarapuava, Rodolpho Werneck Botelho, em entrevista ao CORREIO em abril.

REGIÃO
O Núcleo Regional da Seab abrange, além de Guarapuava, Prudentópolis, Turvo, Campina do Simão, Goioxim, Cantagalo, Candói, Foz do Jordão, Reserva do Iguaçu e Pinhão.

A estimativa da safra é atualizada mensalmente pelo Deral e o próximo balanço deve ser divulgado até 26 de junho.

error: