Na região de Guarapuava, estimativa das safras de cevada e trigo não muda em novo boletim

De acordo com o relatório divulgado nesta quinta-feira (29), a região de Guarapuava deve colher, respectivamente, 257.040 toneladas de trigo e 199.475 de cevada; perspectivas são positivas para o rendimento dos grãos

O Departamento de Economia Rural (Deral) do Paraná, ligado à Secretaria do Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab), divulgou nesta quinta-feira (29 abril) um novo boletim referente à safra 2020/2021, já trazendo números das chamadas culturas de inverno.

A região de Guarapuava, que tem destaque nacional pela relevante produção de cevada, tem perspectivas positivas neste ano, com aumento da área e rendimento das lavouras. Não houve, em contrapartida, mudança em relação ao relatório divulgado em março.

No caso da cevada, o boletim estima uma produção de 199.475 toneladas, aumento de 16% em comparação com 2020, quando foram colhidas 171.831 toneladas. Esse grão também terá um maior rendimento, de 4.510 kg/ha para 5.050 kg/ha – elevação de 12% -, e de área, saltando de 38.100 ha para 39.500 ha.

Segundo o Deral, é esperado um crescimento significativo do trigo na região de Guarapuava, com produção estimada em 257.040 toneladas. Em termos comparativos, o crescimento é de 33%, já que o montante em 2020 foi de 193.857. O rendimento deve ficar na casa dos 4.200 kg/ha, com variação positiva de 17% – no ano passado, foram colhidos 3.580 kg/ha. Outro aspecto que deve crescer é a área, de 54.150 ha para 61.200 ha.

OPORTUNIDADE
Tido como uma boa opção de mercado, já que pode substituir o milho em algumas situações, o triticale também manteve os mesmos números de março, em relação à estimativa de safra.

A região deve produzir 11.700 toneladas – cerca de 1.782 toneladas a mais que em 2020 -, com produtividade de 3.900 kg/ha. A área também registra tendência de crescimento, de 2.900 ha para 3 mil ha.

PARANÁ
A nível estadual, a safra de cevada deve colher resultados superiores aos dos últimos dois anos. A área, por exemplo, é estimada em 67 mil ha, contra 64 e 62,9, respectivamente, de 2020 e 2019. Essa tendência de alta também é observada na produção, com 307 mil toneladas (+13%), e no rendimento, com 4.585 kg/ha.

Mais difundido pelo Paraná, o trigo deve registrar uma área de 1.158,1 mil ha, contra 1.124,8 e 1.028,5 dos anos anteriores; a produção total deve ficar na casa das 3.799,8 toneladas (+22%) e o rendimento em 3.281 kg/ha.

Já o triticale manterá uma produção estadual tímida, espalhada por 6,7 mil ha e estimada em 22,4 mil toneladas. A produtividade deve ficar na casa dos 3,3 mil kg/ha.

error: O conteúdo é de exclusividade do Correio do Cidadão.